quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Bruta Flor

Ela diz: " Eu sei que decidi,mas agora já não sei de nada. Minha decisão foi tomada de acordo com as cirscunstâncias da época. Agora é diferente."

Você retruca: " Não sei como é diferente? Em um mês, você, ele , tudo mudou?"

Ela: " Ah, eu não sei... Pode ser que agora seja diferente."

Você : " Acho que você tá fraquejando na sua decisão. Decidiu, tá decidido. Não pode voltar atrás."

Ela: " Mas eu não estou recuando. Só quero deixar mais claro, ratificar. Botar um ponto final definitivo."

Você : " Cara, você já pôs um ponto final, já terminou. E foi bem cruel, bem direta. Não precisa repetir. É por isso que ele não te leva a sério. Tá sempre se repetindo, voltando para o mesmo lugar. E ele sabe disso...

Ela : " Mas ele..."

Você: " Não tem que pensar nele. Tem que pensar em você e ponto. Você já sofreu, já terminou. Não pode voltar atrás, não pode querer mais."





Ela é humana e você está errada.

Quem sabe seja lá o que for do amor? Quem é você pra palpitar?

Quem disse que é mais esperto quem não se dobra? Quem disse que quem se dobra há de sofrer?

Quem disse que o silêncio é mais seguro? Quem disse que é sempre perigoso lá fora?

Quem disse que a gente pode se controlar?





Talvez Camões seja mais sábio que você:

" Que dias há que n´alma me tem (o amor) posto

um não sei o quê, que nasce não sei onde,

vem não sei como, e dói não sei por quê."



É o que você deveria ter dito a ela.







Adendo:

Parece sobre você, mas é sobre mim...
 
Ainda assim, vale a pena. Sempre vale.

Um comentário:

Jackie disse...

Este poema é pefeito. Gostei do texto. Ela me parece uma completa idiota..rsrsrsr
Vc tem talento.
Bjs