sábado, 23 de janeiro de 2010

Corujice

Fato é que amo Paulo Vítor, meu primo. Abre parentêse: só não sei se o nome dele se escreve assim mesmo ou se  é Victor. Desnaturada que sou! Tenho que perguntar pra minha tia. Fecha parêntese.

Gostar dele não tem nada a ver com nosso grau de parentesco, obrigações familiares, essas bobajadas. Vitucho ( sim, eu dou apelidos esquisitos às pessoas) me conquista porque, já aos três anos de idade, é encantador, gente boa, engraçado pra caramba e , claro, retribui o amor que ofereço. Mas acho que gosto mesmo  porque  ele diz umas coisas deliciosamente fofas.

Ontem minha vó me contou a conversa que teve com ele ao telefone:
 Paulo Vítor: " Vovó, tô esperando você, hein?"
Vovó: " Tá bom, meu filho, amanhã vou aí te visitar."
Paulo Vítor:"  Vem e traz uma pipa azul. Meu pai comprou uma pipa preta, uma amarela, uma vermelha, mas  quero uma azul. Meu pai não deixa eu soltar pipas com as crianças grandes. Elas soltam minha pipa e ela vai embora. Meu pai disse que, quando eu crescer, eu vou soltar pipa sozinho. Vovó, amanhã, eu vou crescer".


Corujices à parte, é fofinho,não é?

2 comentários:

Lia disse...

Muito!!! =)

Cíntia Mara disse...

Hahahahaha, que gracinha!

Não tenho mais primos pequenos que eu tenha muito contato. Entre os de primeiro grau, a mais nova fez 10 anos no sábado e eu quase não a vejo pq ela mora um pouco longe.


Mas vivo corujando as crianças da igreja. Quem mais me diverte é uma fofuxa de 5 anos que vive brigando comigo porque eu falo que ela é meu neném, hahahaha. "Eu não sou neném, eu já tenho quase 6 anos." Enquanto isso, a irmã dela de 9 vive me abraçando e beijando. Minhas "filhotas" lindas que eu amo de paixão!


Bjos