sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Farol das estrelas

Mais que tudo, o desejo. Aquilo que pulsa, me faz doce e desmancha minha voz em moduladas ondas de sorrisos e graças. Faço graça, mas não escondo.

Do que é só meu, faço segredo, quase sempre. No entanto, à noite, cabeça enfiada no travesseiro, olhos apertados e estreitos de sorrir, esqueço a linguagem da criptografia e desando a falar.

Porque meu desejo é de toque macio, assim inteiro, delicado, como por dentro sou. Porque meu desejo é de silêncio, espera e doçura.

Porque o que desejo parece todo feito de sutileza e me veio de canto, de lado, de soslaio; sem que notasse, sem que soubesse.



Meu desejo é metáfora. Nada mais coerente que eu , para quem os astros nunca serão apenas corpos do céu, me encante por um observador de estrelas.



( Qualquer semelhança com fatos reais, é mera coincidência)

3 comentários:

Cíntia Mara disse...

Hmmm... coicidência? Seeeeeeei...
kkk, tô brincando, viu?

Bonito texto.

Bjos

Lia disse...

Gostei mt Ju!! è teu?

bjus

M!riam disse...

Juuuuuuuuuuuu, tá apaixonada!! hihihihih

bjssssss