segunda-feira, 15 de março de 2010

Clube do Filme

Finalmente, terminei de ler " O Clube do Filme". Só não sei se dou conta de falar dele. Fazia um tempo que um livro me tocava fundo.


Comprei o livro sem ter em mente qualquer pretensão. Comprei porque queria um livro fácil de ler e porque estava com um preço bom. Só isso. E eis que logo nas primeiras páginas ( lidas na praça de alimentação do shopping) me vi fisgada por um sentimento que não dá pra explicar. " O Clube do Filme" catucou um monte das minhas feridas, trouxe à tona umas questões, por isso demorei tanto pra ler.

Mas finda a leitura - depois de ajeitar a cabeça remexida pelo livro - , sei dizer duas coisas:

1- David Gilmour ( o autor) me ajudou a entender por que nunca fui lá muito capaz de ser arreabatada por um filme. Livros que me tiraram o chão posso citar alguns,porém filme, acho que só Fim de Caso ( com a minha AMADA Julianne Moore). Agora sei o porquê. Eu não entendia o óbvio. A emoção do cinema vem da imagem, do mundo de signifcados que há num céu acinzentado, num olhar, naquilo que não está sendo visto,mas que se faz presente.

Parece que estou anunciando o descobrimento da pólvora, mas é que nunca tinha me dado conta disso. Eu me encantava apenas com aquilo que os filmes têm de semelhante com os livros : a narrativa. De hoje em diante, serei mais atenta a poesia das imagens. Pelo menos vou tentar.



2- Para além da beleza e da sinceridade do relato sobre a relação de um pai e um filho, um outro elemento do livro me cativou desde o início e , ao terminar de ler, vejo nesse certo elemento a metonímia do livro. Na capa, há uma foto do David Gilmour e de seu filho. Na orelha da contracapa, essa foto está ampliada e é possível vê-los melhor.Lado a lado, pai e filho. O pai com os braços em torno do rapaz, que sorri seu sorriso torto, tranquilo. O rapaz está com as mãos nos bolsos, não toca o pai, mas a linguagem dos corpos de ambos revela a cumplicidade e o afeto que há entre eles.

Certamente, estou viajando um pouquinho ao ver tanta simbologia na foto,mas , a partir de um certo ponto da leitura, eu ia o tempo todo no fim do livro pra dar uma olhadinha nela, só porque fiquei fascinada por ela.



P.s.: Neste blog, encontrei uma resenha bem legal sobre o livro.

3 comentários:

M!riam disse...

Oi, Ju! Também amei esse livro. É realmente apaixonante...

Fiz uma resenha sobre ele no blog LBG, passa lá e dá uma olhadinha!

Está rolando uma promoção lá no blog, gostaria muito que vc participasse!

Falando sobre o livro Clube do filme, queres ter uma agradável surpresa acesse:

http://factoide.wordpress.com/2009/09/05/clube-do-filme-e-a-nostalgia-corrupta/

bjssss, depois me conta!

M!riam disse...

Oi, Ju! Também não é o estilo de música que ouço. Mas é legal ver ele, não é! Pena que o vídeo é meio ruinzinho!

bjs

Cíntia Mara disse...

Fiquei curiosa com esse livro de tanto vc falar, rs.

Bjos