sábado, 3 de abril de 2010

A ilusão do anonimato

Trabalhar pertíssimo de casa dá nisso.Estava na pracinha com os meus primos, comprando uma batatinha frita, quando ouço:

-Professora, já escolhi meu livro do trabalho, hein?

Olho prum lado , olho pro outro. Será que isso é comigo?

- Ei, professora!

Sim, é comigo. Consigo, apesar do meu astigamatismo e da falta de óculos, enxergar  um dos meus alunos da noite no meio de um grupo de carinhas barulhentos.

Primeiro, penso: " Esse meu short tá muito curto?" . Segundo: " ´Meu cabelo tá muito bagunçado?". Terceiro: " Ah, que saco! Que garoto chato esse!! Esses alunos surgem de onde? Brotam do chão??"

Saudades do tempo em que andava anonimamente pelas ruas do meu bairro. É dura essa vida de aprendiz de celebridade... rsrsrsrsrs

3 comentários:

Fabiane Ariello disse...

Hahaha, que medo de ser professora. Acho que eu ia passar muita vergonha por aí... ou ia ficar super neurada e conferir se estava tudo perfeito antes de sair de casa para fazer qualquer coisa!

simplesmentemonalisa disse...

Acho a profissão de vocês maravilhosa, mas não tenho o mínimo dom para a coisa.
Beijinhos!

Cíntia Mara disse...

Menina, eu morro de rir com os seus posts!

Se te consola, eu trabalho bem longe de casa e olha o que me acontece: Quinta-feira eu saio de casa correndo, perco o ônibus e, pra compensar, passo na drogaria pra comprar um Columba Pascal com chocolate que eu amo de paixão e ir comendo no caminho. Quando chego ao ponto, topo com um dos gerentes da minha equipe lá. Ele viveu quase a vida toda no meu bairro e levou o carro pra arrumar num mecânico amigo de infância.

Mas... Isso não é nada perto de ir a Ouro Preto (com Deb, Bel e Cláudio) e topar com o gerente sênior da empresa. E pior, ainda ouvir as meninas super discretas questionando a opção sexual dele. Posso com isso? kkkk

Beijos