terça-feira, 11 de maio de 2010

" Eu nem sinto meus pés no chão"

Ando numa fase meio " cara amarrada". Não é mau humor,é cara feia mesmo. E o pior é que nem percebo.

Ser gente é engraçado. Ano passado , eu trabalhava feito uma louca. Andava de ônibus, metrô. Vivia cansada e de cara feia.  Esse ano , as coisas estão muito mais leves e eu , em vez de curtir um pouco da " boa vida", prefiro deixar um monte caraminholas crescerem na minha cabeça..

Hoje foi um dia de cultivar caraminholas. Passei a tarde toda deixando que a minha mente se tornasse oficina das ideias despropositadas, dramáticas e chatinhas.

Dai que tive de sair de casa pra trabalhar. Botei meu brinco favorito, minha sandália favorita , me armei do meu casaco mais quentinho e fui. Ao sair no quintal de casa, dei uma olhada no céu.Ah, os poderes que um céu apinhado de estrelas tem sobre mim!! Um céu azul-marinho limpo e claro, estrelas brilhantes e densas , parecendo estarem ao alcance dessas minhas mãos viciadas numa metáfora.

Tenho  pés que não sabem  pisar os caminhos que percorrem. Às vezes cho  que as coisas seriam mais leves, mais fáceis se eu  fosse mais capaz de me desligar do espaço além das nuvens e dos astros do céu  e fixasse meu corpo e minha alma na realidade.

Mas fazer o quê se  as estrelas jamais serão apenas corpos celestes pra mim? Fazer o quê se preciso da força de sua metáfora para dar uma erguidinha na cabeça e desfazer a cara de " bunda lesada", como diz minha vó?

Fazer o quê se eu sou a rainha da pieguice? rsrs

3 comentários:

Monalisa disse...

Como romantismo pode ser taxado de piegas?
Vc só está deixando o lado melancólico tomar conta, mas de vez em quando até isso é bom.
Desacelerar é bom, mas ficar parada não! Acelere novamente e sorria!
Beijos

Arcano Zero disse...

Todos precisamos de algo que nos permita respirar, algumas pessoas fazem isso com álcol. Agradeça que o seu é de graça e não faz mal. bjs

Cíntia Mara disse...

.Ah, os poderes que um céu apinhado de estrelas tem sobre mim!! Um céu azul-marinho limpo e claro, estrelas brilhantes e densas , parecendo estarem ao alcance dessas minhas mãos viciadas numa metáfora.

Me identifiquei totalmente!
No meu caso, nem tanto o céu à noite, mas de manhã. Eu passo o dia muito mais feliz quando saio de casa e vejo o céu limpinho, aquele azul lindo. Por isso que eu gosto tanto do horário de verão, ver o sol se pôr de dentro do ônibus, quando já devia ter escurecido, rsrs.

Beijos