segunda-feira, 14 de junho de 2010

" Alguma coisa acontece no meu coração..."

Sabe quando você vive dias tão deliciosos que nem sabe como falar muito bem deles?

Então, estive em São Paulo no fim de semana. Talvez você pense assim: ora, São Paulo ? Se ainda fosse Paris... Bem, não tenho mesmo como transpor para cá as impressões que a cidade deixou em mim. Trouxe pra casa bem mais que um nariz ressecado, cordas vocais avariadas e um cachecol lilás lindo, lindo.

São Paulo, pra mim ,é assim ó:

Liberdade, chocolate quente com gosto de primeiro beijo, a melhor pizza marguerita do Universo, ruas limpíssimas, “ chuveiro- geladeira” ( piada interna, tá?),decepção com a 25 de março ( bem, pra quem conhece o Saara, a 25 parece uma ruazinha de nada rsrsrs), decepção com o frio ( sobrevivi sem congelar!), sushi pra levar pra casa, MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA,peixinhos num aquário fofinho, “o maníaco do milho”, a vizinhança chiquérrima do hotel, 12 de junho nas calçadas da Oscar Freire, Bexiga, teatro, “ Não, vou dar, não vou dar... DEI”, cansaço, pés doendo, restaurante todo branco, padaria cujo cheiro se espalha pela rua inteira,barulho de talheres, sanduíche de mortadela GIGANTEEEE, o mijão do ônibus de ida, os cariocas perturbados do ônibus da volta.



Mas, quer saber, São Paulo pra mim são as pessoas fofíssimas, gentilíssimas e educadéRRimas que tornaram nossa estada possível:

O vendedor da 25 que acha que Nilópolis - o lugar onde fica a Beija –Flor - é uma ilha ( absurdooo!! Rsrsrsrs) e que nos “ensinou” a falar carioquês; a moça da Contém 1g que convenceu a Jackie a gastar uma grana preta em maquiagem; todos os motoristas, cobradores, jornaleiros, seguranças que serviram de guias turísticos; a rapaz adorável que nos guiou cheio de gentileza pelas ruas chiques; os “ poliça” bonitos que deram informações e balançaram nossos corações; o menininho fofo do mercadinho da Liberdade que tentou aprender “ carioquês”; a Lia , que mais parece um doce de algodão doce de tão fofa e gentil e  tem uma “amiga- cogumelo”.

Alguma coisa aconteceu mesmo no meu coração...



Pra resumir, esqueça tudo o que escrevi e fique com as palavras do Mário de Andrade:

“ Garoa, escorre do meus olhos”.



p.s.: São Paulo também serviu pra provar que se Jaqueline e eu não nos matamos até hoje, provavelmente, não nos mataremos mais...rsrs

p.s.: Lia, espero que a Gisa não leia isso daqui! hahahahahhaa

2 comentários:

simplesmentemonalisa disse...

ô SAUDADE da minha terrinha!
Acho que se pudesse entrava no avião agora mesmo e em 45 minutos estaria lá para tomar um belo café da manhã na Palácio Cristal!
Beijos

Cíntia Mara disse...

Ah, que legal! Eu tb volto toda boba qd viajo, rsrs. É bom se dar esses pequenos prazeres de viajar pra SP e se sentir melhor do que se estivesse em Paris.