quinta-feira, 8 de julho de 2010

Eu, a professora e as crianças

Quer me deixar irritada? Receita infalível: reproduza esta frase “ Como é que pode ser professora e não gostar de criança?”

Primeiro: não dou aula pra crianças.

Segundo: nunca disse que não gosto de crianças.

Se a pessoa me pergunta se gosto de criança, sempre dou uma hesitadinha antes de responder pouco convincentemente : “ Gosto, gosto...”. Porque não gosto de crianças, assim generalizado; gosto daquelas que conheço. Gosto do Paulo Victor ( finalmente,aprendi que o nome dele tem “c”), do Guilherme, do João Paulo. Em parte,  porque eles são pessoas importantes pra pessoas que amo; em parte, porque eles são bem legais, fofos e muito engraçados. (Sou apaixonada por gente que me faz rir.)

Essa história de amar todas as crianças do mundo, ser louca por universo infantil, assistir Ben 10  junto com uma galerinha não cola comigo. Se eu trabalhasse com crianças, provavelmente, ficaria feito a Xuxa no vídeo Aham, Cláudia ! Senta lá! ( Esse vídeo é uma pérola! Rsrsrs). Mas experimenta dizer que “ não, não vou !”, quando alguém cisma que você tem que tomar conta da galerinha só porque tem um diploma de “ professora”.  Quer ver outra heresia? “ Não, não sei traçar uma linha reta! Não, sei desenhar!” Nem adianta tentar explicar que dou aulas de português e literatura. “ Como assim uma professora que não tem habilidades manuais?”

Eu pretendia falar sobre essa obrigação de gostar de TODAS as crianças do universo, essa generalização que faz a gente se esquecer de que  criança também é gente, indivíduo, uma pessoa que pode ser legal ou não, com quem a gente pode ter afinidade ou não. Acabou que que descambei pro lado da velha questão que não sai da minha cabeça:  como é que um professor deve ser? Como é que deve se comportar? O que esse título exige de mim? Talvez esses dois temas estejam interligados.

Talvez haja um jeito de convencer as pessoas de que gostar ou não de trabalhar com crianças não  implica necessariamente detestar tudo o que diz respeito  a elas. Talvez haja um jeito também de  mostrar que professor é gente na maior parte do tempo ( rsrsrs), inclusive na sala de aula. Se vocês conhecerem um método bem prático e didático de convencimento, me ensinem,por favor! Antes que a minha cara de “ não, não sei alfabetizar” assuste alguém, de fato! Hahahahaha

P.S.: Que fique bem claro que sou uma ótima cuidadora de crianças,tá? Kkk Num é que menininhas e menininhos adoram se jogar pro meu colo, ainda que tenha pavor de segurar bebês. Bem, eu seguro bebês grandinhos,mas aqueles bem novinhos me dão nervoso. Morro de medo de machucar! Sei lá, eles são tão frágeis. “ Não, não quero segurar,não!” kkkkkkkk

P.S.S.: Paulo Victor já me ensinou muitas coisas: “ ju, tem que lavar o buraco do cocô!”, “ ju, não é assim que limpa a orelha!” , “ ju, eu sou pequeno e você tem que me carregar no colo”.Não, não mesmo! Carregar num colo um moleque de quatro anos de idade , que já sabe andar de bicicleta e correr atrás de pipa, não mesmo! Kkkkkkk

P.S.S.S: Me lembrei de que já falei de algo parecido aqui. Tô ficando velha e repetitiva, meu Deus! KKKKKKK

P.S.S.S.S.: Não sei mesmo alfabetizar! Ensinar alguém  a ler e escrever não é tarefa pra qualquer um ,não! Exige paciência, talento, habilidade, experiência e, principalmente, qualificação.

2 comentários:

amanda. disse...

hahaahahahahaah mas é a mesma historia com pais.
como se ser pai/mae te da a obregatoriedade de gostar de crianças. eu gosto da MINHA criança, a sua que se dane.... OISAIJSOIDJAWOIEJ

haha brincadeira, eu adoro crianças, amo mesmo. eu nao gosto é de gente mal educada e arrogante, nao importa se tem 5 anos ou 50. o problema é que o povo é conivente com criança mal educada e arrogando dizendo que "é coisa de criança". hunf, minha filha tem 7 anos e é educadissima.

sobre alfabetizar crianças... cara, eu ADMIRO MUITO essas professorinhas de pré-escola. além de cuidar de um monte de fedelho com energia a mil, ainda ensina a ler, escrever, cantar musiquinha e fazer xixi no lugar certo.
merecem palmas, muitas palmas.

Cíntia Mara disse...

Hehe, adorei, Ju!

Eu nunca fui boa com crianças. Meus primos mais novos me davam nos nervos. Até que algumas garotinhas da igreja descobriram as minhas pulseiras e resolveram ser minhas amigas. Menina, dava até briga pra sentar no meu colo, tudo porque queriam ficar brincando com minhas bijuterias! Agora todo mundo acha que eu sou louca por crianças. No way! Amo minhas amiguinhas (mocinhas de 6 anos), mas só uma de cada vez e bem comportadas. Se não obedece eu largo pra lá!

Bjos