quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Ainda sobre sapatos...

 Ainda estou dando uns pitis internos,mas em nível bem mais moderador. Afinal, não tem graça dar chilique na frente de adolescentes bem mais dramáticos que você. O charme está em ter um blog, postar nele de madrugada e receber um monte de comentário me incentivando a gastar, a torrar o cartão de crédito, fazer crediário. kkkkkk  Quase fiz isso...

Passei como quem não quer nada numa dessas lojonas de roupa, namorei ,namorei uma bolsa,mas caí mesmo de amores por um sapato LINDO! Agarrei com todas as forças um exemplar número 39 ( coisa rara!) e corri pro caixa. Na hora de pagar, cadê o cartão? Sai de casa sem bolsa e carteira hoje. Só dinheiro mesmo! Não dava pra pagar na base do " oi, moça! minha vida depende desse sapato,mas deixei a carteira em casa. Olha! confie em mim! Me deixa levar sem pagar que, juro, que volto aqui pra pagar!" . Cogitei seriamente essa possibilidade...=p

Mas como minha vida não dependia daqueles sapatos, saí da loja e fui almoçar. Amanhã volto lá! Se ainda tiver o numero 39, ótimo! Se não tiver, ótimo também! Nem conto pra vocês dois pares sapatos novissimos, um mais bonito que o outro esperando pra serem usados. 

Se bem que aquele era tão lindo, necessário, fundamental...  Ai, ai!

4 comentários:

Vanessa Carneiro disse...

uahsuhuahsuhs momentos becky bloom é?

ei, vai la no meu blog, fiz a postagem que te falei, baseado no teu texto sobre adultos.

bjaaao

M!riam disse...

Respondendo a tua pergunta lá no blog, Ju.

A costela tem muita gordura e se estiver muito frio - aqui em SC faz muito frio - a gordura endurece e fica toda branca, cola nos talheres, na boca...fica uma eca! rsrsrs

beijooooo!

Cíntia Mara disse...

O charme está em ter um blog, postar nele de madrugada e receber um monte de comentário me incentivando a gastar
Você é boba demais, Ju! kkkkkkkkkk

Eu não saio sem meu cartão pra nada! Nem pra ir à igreja, que fica a menos de cinco minutos da minha casa, rsrs. Outro dia eu saí com a minha mãe ali no bairro mesmo e adivinha? Minha rasteirinha arrebentou no meio do caminho. Ela ficou toda preocupada, "o q q cê vai fazer agora?". E eu: "tem uma loja de sapato ali, só preciso atravessar a rua". Imagina se estivesse sem o cartão? (A propósito, foi um custo pra atravessar a rua mais movimentada do bairro com a sandália saindo do pé. Ficar descalça nem pensar, tinha acabado de fazer as unhas e tomar banho.)

Mas, tirando essas emergências, muito difícil eu comprar alguma coisa sem planejar (livros e esmaltes não contam, ok? Eles entram na categoria "remédio anti-estresse").

Annie Adelinne disse...

Não sei o que foi mais engraçado, o seu post ou o comentário da Cintia. Ces duas são mt bobas!