domingo, 3 de outubro de 2010

Espero

A primeira eleição de que me lembro  foi a de 1989.   Não lembro de tudo, tudinho. Daquela época, ficaram a imagem da estrela do PT grudada no vidro do carro do meu pai e a  resposta dele quando quis saber em quem ele tinha votado: " No Lula, mas ele não vai ganhar".

Eleição pra mim significava ir pra um lugar longe de casa, enfrentar uma fila imensa com a minha mãe e marcar , com uma caneta, um X num papel. Minha mãe sempre me deixava fazer o X.

A eleição de hoje foi a minha terceira pra presidente. Votar no PT já não tem o mesmo significado de 1989. Uma criança de 5 anos idade , nos dias de hoje, nem sabe o que é uma cédula ou uma urna de papel. Tantas coisas mudaram. A melhor delas é  ter duas mulheres disputando o cargo de presidente do país.

A gente pode odiar ou amar Dilma e Marina, mas não dá pra negar que é bom demais ver  que  há chances de  viver num país em que operários e mulheres podem ocupar o mais importante cargo político.  Talvez, naquela eleição de 1989, meu pai nem pudesse imaginar uma coisa dessas.

Agora,  ficarei feliz de verdade , quando chegar o dia em que não terei de ouvir na fila da zona eleitoral declarações  como esta: " Voto no Serra. Ele é feio, mas pelo menos é homem. Não precisa aparecer bonito. Imagina a Dilma  e a Marina feias daquele jeito se reunindo os presidentes de países estrangeiros. Vai acabar com a fama de que o Brasil só tem mulher bonita."

Vai chegar esse dia, não vai?

4 comentários:

Rita disse...

Oi, Juliana.

Respondendo sua pergunta: não sei, não sei mais de nada.

Eu ainda voto no PT. Muita coisa ruim aconteceu com o partido desde 89. Muita coisa boa também. Foi o presidente do PT que diminuiu como nunca antes a pobreza do país. Foi o presidente do PT que trouxe mais benefícios sociais, respeito internacional merecido e perspectiva de uma vida mais justa para muitos milhões de brasileiros. Eu fico feliz que a Dilma seja uma mulher do PT. Pra mim, junta uma coisa na outra. Mas, como eu disse, hoje vi que não sei de nada. Parece que o país prefere apostar no "diferente", sem parar para pensar que bom mesmo é fazer justiça social. Eleição não é brincadeira, né? Moda é bom pra gente ficar bonito. Na hora de votar, pode atrapalhar um pouquinho. Quem votou na Marina pra ser "diferente", jogou no cesto do lixo as chances de garantirmos mais quatro anos de justiça social já no primeiro turno e ainda corre o risco de colocar o Serra lá. (Há, claro, os que votaram na Marina por outras razões, e, no fim das contas, aceito e respeito qualquer voto; mas hoje não posso deixar de ver os riscos para o país que a tal onda verde gerou.)

A vida, fazer o quê.

Ai, desculpa aí, nem era aqui que eu deveria falar isso, né? Mas voltando a sua pergunta, não sonhe muito. Tiririca foi o deputado mais votado.

Bj.
Rita

Luciana Matos disse...

Ai Ju eu tô tão desacreditada que nem sou a pessoa mais indicada pra te dizer que esse dia vai chegar.
Parece que eu tô com um nariz vermelho bem aqui no meio da minha cara...
bjo!

Cíntia Mara disse...

A primeira eleição de que me lembro foi em 1994. Tenho muitas lembranças desse ano, já até comentei no blog. Meus pais votaram em FHC das duas vezes, embora na segunda eu, provavelmente, tentasse convencê-los a mudar de idéia. Sempre fui contra a reeleição. Acho que enquanto o país não estiver 100% - e nós sabemos que nunca vai estar - não tem essa de continuar governo de ninguém. Tem é que mudar mesmo.

Espero pelo dia em que não precisaremos ficar felizes por ter duas mulheres concorrendo. Pelo dia em que vai ser normal, tanto mulheres quanto homens, tratados igualmente. Só tenho medo do que mais esse dia pode trazer...

PS: 89 não teve eleição, Ju... Essa aí deve ser de 88, não?

Lia disse...

Espero que esse dia chegue logo!