sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Joelhos italianos enroladinhos

Já contei pra vocês que adoro joelhos, né? Não aqueles que ficam no meio da perna, que  permitem que a gente ande e  que carregam as marcas das travessuras infantis. Desses, eu não sou fã,não? As articulações do corpo são funcionais e fundamentais,mas não são bonitas.


Pois bem, eu gosto mesmo, muito, tanto é do salgadinho conhecido no Rio de Janeiro como joelho. Tenho que deixar bem claro que esse é o nome usado na cidade do Rio e em algumas cidades da Região Metropolitana, porque, em Niterói e São Gonçalo, joelho de queijo presunto tem de ser chamado de italiano de queijo e presunto. Segundo a Lia, a Miriam e a Cíntia, em outras regiões do país, o meu querido salgadinho  é conhecido como enroladinho. Bem, por aqui enroladinho é um outro salgado, feito com massa de risole  frita.

Então, esse papo todo sobre joelho surgiu porque resolvi alardear ao mundo o meu talento culinário 
(limitado a fazer bolos fofinhos, pizzas bem -sucedidas, lasanhas devoráveis num piscar de olhos, gratinado de batata que a vovó adora e fim). Achei o livro de receitas da minha mãe, onde está devidamente anotada a receita do joelho. Eu nunca consulto a receita; faço de cabeça mesmo e dá certo. Mas acho melhor mostrar pra vocês as medidas certas. Vai que alguém resolver  colocar a receita em prática... 



Ô, é bem simples:

Ingredientes:
60g de fermento biológico ( pode ser o  fresco ou aquele que vem num pacotinho. Só  é preciso ficar atento  ao modo de usar desse  do pacotinho).
4 ovos ( ó, tem que tirar da tirar da geladeira com antecedência)
1 xícara de leite morno. ( morninho, hein!)
1 xícara de óleo ( eu sempre uso aquele comum, de soja, mas acho que pode usar o de canola ou de girassol)
1 colher de sobremesa de sal
1 colher sopa de açúcar
8 xícaras de farinha de trigo sem fermento (essa quantidade é aproximada. Ah, é importante que a farinha não tenha fermento. Já usei essa  farinha que já vem com fermento uma vez e deu pra sentir a diferença.)

Preparo:

Numa bacia bem grandona, você junta  o sal , o açúcar e o fermento e faz aquela mágica de transformar sólidos em líquidos. (Ah, é tão legal,né? Cês sabem me explicar como isso acontece? Algum entendido ou entendida de química por aí?).Depois, acrescenta os ovos, óleo e o leite e dá uma mexidinha rápida.

Hum, agora vem a melhor parte: colocar aos poucos farinha e amassar bem a mistura! Oba! Adoro! Vai colocando a farinha e misturando a massa até que fique bem amassadinha e lisa. Na receita, diz que a massa está perfeita quando desgruda completamente da mão, mas eu não consigo alcançar esse ponto. Paro de amassar, quando  me dá vontade. Mentira! =)  Sinto o ponto da massa  meio que na intuição, mas como não é possível passar minha intuição via internet pra vocês, sugiro que considerem a massa ok assim que sua mão for ficando limpinha.

Massa pronta? Tampe a vasilha e deixe o “ trem” ficar bem enorme. Segundo receita, 30 min bastam. Eu deixo  a massa lá no canto dela um tempão mesmo. Quase me esqueço dela, mas depois me lembro e  decido moldar os joelhos e recheá-los.

Pra abrir a massa, use um rolo de macarrão. Como aqui em casa não tem, eu lavo uma garrafa de cerveja ou de Tobi, tiro rótulo, passo água fervendo  e álcool dentro e fora e faço da garrafa  a minha ferramento de trabalho. Esse é um macete da minha vó!

Quanto à modelagem dos joelhos, confesso que não obedeço ao padrão porque não tenho a menor habilidade manual. Meus joelhos são disformes, costumam lembrar pequenos rocamboles esquisitos  ou esfihas mal –acabadas. Sendo assim ,acho que o formato do joelho pode ficar à mercê do talento artístico de quem está cozinhando.

Joelhos moldados? Coloque-os num tabuleiro, pincele um pouquinho de gema e leve ao forno médio, até que fique douradinho. No forno daqui de casa, que é uma tranqueira  (o nosso forno tem uma válvula de segurança para impedir que as crianças façam besteira na cozinha, só que a tal da válvula é tão segura que acender o forno exige força, paciência e muitas tentativas), leva mais ou menos meia hora.

Pronto, é só comer!

P.S.: Eu faço a maior propaganda desses joelhos, mas, claro, óbvio, eles não são invenção  minhas. E eu lá sou inventadeira de receita? =P  Alguém( que não sei quem é )deu a receita pra minha amiga Helga e ela passou pra mim.

P.S.: A foto que aparece aí em cima não foi tirada por mim nem fui eu quem fez essas belezinhas. Quem dera se eu soubesse modelar joelhos tão bem. A fotos dos meus não quer ser carregada de jeito nenhum. Então, me rendo a uma imagem que o Google me forneceu.

Só mais um P.S.: Eu sou uma mulinha,né? Não falei do recheio. Meu Deus! E eu que critico tanto a Ana Maria Braga... Olha, a tradição é rechear com presunto e queijo, mas vocês podem colocar o que  quiserem dentro. Só fiquem atentos com a consistência do recheio. Evitem colocar recheios molhadinhos, porque acabam se misturando na massa. 

12 comentários:

Rita disse...

Agora entendi, hehehe. :-)

Bjinho!
Rita

M!riam disse...

Oi, Ju!

Fiquei a leitura inteira me pergundanto: Pq a Ju não postou uma foto? Tá, agora entendi... acho que a tua foto é muito grande, será? Mas, enfim, fui no google e fui apresentada ao 'joelho'!

Agora preciso ler a receita e prestar atenção, pq na primeira vez só rir!

O lance da garrafa eu conheço das antigas...rsrsrs agora tenho um rolo!

beijoooo

Ana Maria disse...

Ahhhhhh eu nem imaginava que se chamava joelho!!! Mas enroladinho eu conheço!

Juliana disse...

Entendeu, Rita! kkkkkkk Eu só fui saber que esse nome era exclusivo do RJ, quando fiz um post falando que fazer joelhos era minha terapia e minhas amigas de outros estados ficaram me perguntando do que eu tava falando.

Ei, Ana Maria!! Nunca te vi por aqui,hein? ê, que visita boa!!
Viu como só mudou o nome? kkkkk

Miriam, eu me lembrei de vc na hora em que achei a receita. Pensei: essa é pra Miriam. =)
Eu diminuí as fotos ,mas mesmo assim não carrega. Menos mal, os meus joelhos são gostosos,mas feios que dói, heheheheheheh
Aqui não tem rolo. A gente so usa o macete da vovó.

Cíntia Mara disse...

Hmmmmmmmmm

Minha mãe faz salgado pra fora, mas nunca ninguém pede enroladinho. É triste, porque eu adoro. Aliás, eu gosto de tudo que seja feito de presunto e mussarela! Será que se eu chegar na padaria e falar que quero um italiano as pessoas vão entender? kkkkkkkkkkkkk

Uma mãe em apuros! disse...

Nossaaaa ADORO enrroladinho de queijo e presunto, mas sou uma negação na cozinha.. hahahah
bj

disse...

Não gosto de cozinhar. Só de comer.

Juliana disse...

Cíntia, eu não sabia que sua mãe faz salgado! Ai, vou pra Minas hojeeeee!!


Mãe em apuros e Fê, esse joelho é molezinha de fazer. Eu tb não tenho o menor jeito. É só colocar na bacia, amassar e pronto! Se eu fosse vcs, eu bem faria!

Lia disse...

kkkkk eu quero um italiano!!

Simples assim!!! kkk
Adorei Ju.

amanda disse...

AAAHHHH EU ADORO ESSAS PARADINHAS!!!


vou salvar esse link.
vou fazer.
tirar fotos.
postar no blog.

\o/

Juliana disse...

E eu vou querer ver! Faz logoooo! kkk

Jcouto disse...

Ja tentei fazer diversas receitas de joelho, mas nenhuma obteve o resultado igual nem mesmo parecido com a sua, vc está de parabéns, mesmo esquecendo de por o recheio, Grande abraço e continue seu trabalho sempre com bom humor e muita alegria, pois é so isso que importa na vida. Grande abraço e fiquem com DEUS!!!