sábado, 5 de fevereiro de 2011

Ei, você!

Já que agora já não resta nada pra te contar porque você lê este blog religiosamente, deixarei os e-mails de lado  e farei agradecimentos públicos:

ô, valeu por me aturar mesmo nos dias em que estou mais neurótica e inquisidora do que nunca;

valeu por ser companhia para empadas de palmito, papos malucos e elucidativos e análises antropológicas;

valeu por não achar muito estranho que presentes de aniversário demorem tanto pra chegar, por não se cansar dos meus " ah, sossega aí, pela amor de Deus!", por não se cansar da palavra " controle";

valeu ,sobretudo, por me dar sempre lições muito sensatas. É,  o jeito é deixar que as pessoas pensem aquilo que elas quiserem e seguir feliz.

 " Pra nós, todo amor do mundo". Sempre.

2 comentários:

Aline M. Gomes disse...

Tá parecendo despedida... Espero q não!!!

andré disse...

pra nós, todo o amor do mundo. sempre e tanto. ♥