quarta-feira, 20 de abril de 2011


Meu Spockinho não mora mais aqui, mas tudo bem. Ele sofreu tanto, especialmente ontem, que eu cheguei a desejar que ele morresse. Tínhamos decidido sacrificá-lo, apesar de toda resistência da minha mãe. Pra ela, por questões religiosas,  era uma decisão dificílima, no entanto ninguém mais aguentava ouvir os lamentos de dor do nosso cachorrinho. Não foi preciso matar o Spock; ele morreu sozinho, de madrugada, sedado.

Logo , logo , eu me acostumo com o fato de que não terei mais que me preocupar com a possibilidade de um cachorrinho comer a prova de algum aluno.  Spock gostava de rasgar papéis, ficava muito tentado a arrancar um dos meus livros da estante. Não vamos precisar trancar as portas do quartos, não vou precisar fugir das mordidinhas no meu pé. Não tenho mais companhia pras horas em que passo trabalhando no quarto.

Ele não está sofrendo mais, e eu tô aliviada por isso. Quase feliz.

E uma parte de mim quer acreditar que a morte  já tenha feito sua parte por aqui e vá embora.

12 comentários:

Arcano Zero disse...

Não há o que diser. Um bio abraço.

Júuh . disse...

nossa Ju que triste, eu bem sei o que é isso. mas com certeza foi melhor pra ele!

Fique bem!
Beeijo e bom feriado.

M!riam disse...

sem palavras, Ju... só o tempo para aliviar a dor que fica...

um abraço apertado, longo e silencioso...

disse...

Ah os animais ...

Fique bem.


Beijos

Felipe Fagundes disse...

As vezes as pessoas não entendem como podemos ficar depois de perder um cachorrinho, e olha que você conheceu o Spock a pouco tempo.

Perdi um cachorro que estava comigo a quase 10 anos. Chorei MUITO nesse dia ainda mais da forma dramática que tudo aconteceu mas que não vai caber aqui nesse campo de comentário.
Acho que nunca chorei assim por uma pessoa (mesmo porque nunca "perdi" ngm) , mas um cachorro é como uma pessoa, pelo menos pra mim era.

Depois de um tempo a dor passa e a gente ri com as boas lembranças.

Bom Feriado pra você ;)

Juliana disse...

Felipe, minha vó diz que cachorro não é ser humano,mas é uma pessoa! kkkkk

Obrigada, pessoas fofas pelos comentários! =)

Rita disse...

Ah, Juliana... não sei o que dizer. Sinto muito, de verdade. Sinto muito, viu.

Um beijo pra vocês.

:-(

Elaine Gaspareto disse...

Juliana, vim responder sua pergunta, e me deparo com isso. Ah, sinto muito... sinto tanto...
Que dizer? Graças a Deus ele não precisou ser sacrificado, eu entendo sua mãe. Sabe? Sou boba... acredito em um céu dos cachorrinhos. Onde eles correm livres das dores que os levaram...

Querida, pode corrigir até o fim de abril, tá? Obrigada por lembrar, já adicionei ao texto.
Beijos.
Sinto muito.

Luciana Matos disse...

Se Spock vai estar sempre vivo nas suas lembranças!

Beijo Ju.

Cor de Rosa e Carvão disse...

ah Jú... estou triste e feliz, como tu. nem sei que o faria sem os meus bichanos. tempo queridona...

Sônia Cristina disse...

Oi Juliana,

não sei de que forma vim parar aqui!
Ah, como conhço essa dor, e como doi...
Eu acredito que animais e humanos após morte tem a vida espiritual igual.

Loucura minha? talvéz. Mas prefiro assim, isso me conforta em saber que meu marido lá em outro plano tem nosso filhinhos de 4 patas por perto.

vou voltar aqui sempre!

Paz e Luz!

Juliana disse...

Oi, meninas! Obrigada pelo carinho. é bom saber que tem gente que entende como me sinto porque , antes do spock, eu não me lembrava de sentir tanta falta de um bichinho e achava meio absurdo esse luto.

Eu não penso muito no que acontece depois da morte dos cachorros, mas me conforto em saber que o sofrimento acabou.

Sônia e Elaine, obrigada pela visita. voltem quando quiserem.