sábado, 16 de abril de 2011

Porque há

Há coisas boas. Sempre há.

Há a  noite quente, a  brisa boa, o turbilhão da rua, a Lia, São Paulo, o celular da Tim, a professora que leva 24 minutos pra começar a aula e escrever na lousa. ( Lousa? Que lousa? Aqui na minha terra, a gente chama de quadro).

Há a rua, só a rua e um céu claro, e a lua, e a Candelária ao final da rua, tudo parecendo tão bonito enquanto o sinal ainda está fechado. Tudo ali só pra mim.

Há o tempo, o deslocamento, o trem e uma hora inteira pra pensar. Há a fantasia, o sono, a janela , o muro e as casas correndo veloz.

Há a suavidade da voz, a dureza da voz, a aceitação, o reconhecimento, o vaso de porcelana, o " eu sei".

Há a  festa,  o bolo de aniversário voador,  a nerdice, a trollagem, o regozijo e a regurgitação, os olhares,  as risadas,  a doçura, a aniversariante, as palavras que nem lembrava, a constipação, o peito de aço, as piadas internas, o ninho, a casa, os balões e um céu de tnt azul.


Há a sorte, a minha sorte.  Toda minha.

Só por hoje minha.

Graças a Deus.

3 comentários:

Lia disse...

Vc fez minha sexta a noite mais feliz!!! Por alguns momentos tu me fez viver!!! =)

E sim... e aqui é lousa!!!kkk

Felipe Fagundes disse...

Ah, você passa na Candelária também na volta para o trabalho? Ah, eu volto de metrô, embora eu prefira ir andando para a Central do Brasil.

Não consegui mais acompanhar depois do ônibus... Regurgitação? o.O

:P

Juliana disse...

Ai, que maneiro, lia, essa coisa de fazer viver! =) foi divertido mesmo!

Felipe, eu trabalho perto de casa. Mas á houve um tempo em que enfretava a Central , às 7 da noite. heheheh

O post foi feito mais pra mim mesmo, pra eu me lembrar depois. Regurgitação é aquilo que o neném faz quando devolve a comida. Minha amiga confundiu isso com regozijar e boas brincadeiras vieram dessa confusão. hehehe