domingo, 1 de maio de 2011

" Às vezes ando só , trocando passos com a solidão"

" (...)Tudo errou, e havia a grande poeira das ruas, e quanto mais erravam, mais com aspereza queriam, sem um sorriso. Tudo só porque tinham prestado atenção, só porque não estavam bastante distraídos. Só porque, de súbito exigentes e duros, quiseram ter o que já tinham. Tudo porque quiseram dar um nome; porque quiseram ser, eles que eram.
Foram então aprender que, não se estando distraído, o telefone não toca, e é preciso sair de casa para que a carta chegue, e quando o telefone finalmente toca, o deserto da espera já cortou os fios.
Tudo, tudo por não estarem mais distraídos."



Da Clarice, minha blogueira favorita.






Só faltou dizer como faz, Clarice.  


Porque, se me distraio, só caem bombas no meu telhado de vidro; o telefone até toca, mas é trote.



Nenhum comentário: