sexta-feira, 3 de junho de 2011

It gets better

Assisti a este video e achei legal:

Depois um amigo me mostrou este vídeo, e eu tive uma crise de choro:

Chorei porque sou uma alienada. Porque no meu mundo, nesse universo pequenininho no qual me locomovo, não faz sentido que pessoas se matem ( ou sejam mortas) porque não são aceitas.Eu sou alienada. Na minha cabeça de alienada,  a palavra " aceitar" não tem o menor sentido, porque me parece que tem a  ver com necessidade de aprovação. Ninguém nesse mundo precisa da minha aprovação para o  que quer que seja, especialmente pra amar, se apaixonar e desejar. 

 O primeiro vídeo me fez pensar nas pessoas incríveis que conheço que poderiam fazer parte dele. O segundo vídeo me fez chorar porque, pela primeira vez, me dei conta de que essas mesmas pessoas já sofreram um bocado e ainda têm medos que não podem ser dimensionados por mim. Obviamente, eu leio os jornais, sei que todos os dias muitas pessoas são vítimas de homofobia. Muitas pessoas morrem simplesmente porque  sua vida afetiva não condiz com o modelo aceito como padrão. Muitas pessoas. Só que eu nunca tinha parado pra pensar ( acreditem, eu nunca tinha pensado de fato) que  gente que eu amo corre risco de ser machucada, agredida e morta exatamente pelo mesmo motivo.

Na minha visão limitada, bastava que eu não compactuasse com piadas imbecis, com discursos crueis,  bastava não voltar  a especular sobre a afetividade e a identidade alheias como eu costumava fazer antigamente, e estaria tudo bem.  E , ingenuamente, fico achando que não responder à pergunta "aquela sua amiga é lésbica?"  evita necessariamente que ela receba o peso dos estereótipos e  do preconceito. Mas eu vivo num mundo no qual é legítimo ofender, ferir , xingar  pessoas. Eu tô aqui vivendo, enquanto adolescentes se matam porque não aguentam mais humilhação e violência.

É injusto, é triste e, pior, eu só parei pra me dar conta ao assistir a um vídeo que foi capaz de me fazer dar nome e rosto  a uma realidade que tá aí na minha cara e eu nunca parei pra prestar atenção. Um choque de realidade não faz mal a ninguém, né? Eu me sinto meio idiota escrevendo sobre isso. Afinal em que planeta eu vivo? Mas eu quis mostrar esses vídeos aqui de qualquer modo. Não sei se campanhas como " It gets better" surtem efeito realmente, mas ,se servirem pra dar senso de realidade a pessoas como eu, já tá valendo.

P.S.: Acho que é meio óbvio, mas não custa acrescentar: todo mundo tem o direito de falar o que quiser, no entanto se aquilo que eu digo incomoda outra pessoa  - E A OUTRA PESSOA DIZ QUE TÁ OFENDIDA-, basta não dizer mais. Simples. 

2 comentários:

Juju Balangandan disse...

Ju, que bonito!

Luciana Nepomuceno disse...

Linda, você é linda. Linda mesmo. Muito linda. me dá teu post? Hein? Hein? Deixa eu publicar lá no Borboletas ou então escreve um pra mim assim, bem parecidinho com esse? please (olho de gato de botas do shreck)