quarta-feira, 10 de agosto de 2011

" A girar, que maravilha"

Eu vivo maldizendo esse meu jeito de quem se derrama pela vida. Comigo, não tem meio termo, meio do caminho, meias medidas. Tudo ou nada todo dia. De manhã, triste e desconsolada; à tarde, mansa e encantada; à noite, eu rio e rio, toda deslumbrada, como se o melhor da vida fosse só agora, esse exato instante. Pode ser que a madrugada me aguarde cheia de sonhos chorosos e escalafobéticos.Não sei ser meio triste, meio deslumbrada. Não tem essa de estou - meio- qualquer- coisa. E cansa, viu? Minha vida é viver cansada.

Mas tem horas, como essa agora em que escrevo, que bendigo cada centímetro de mim que não é contido e  moderado porque, quando alegria vem, ai, ela " se derrama quente" e eu giro feliz como se minha saia fosse feita de chita e arco-íris.




( Tô de calça jeans, de rímel borrado, cabelo pro alto, mas tudo bem! =p)




Nenhum comentário: