sábado, 13 de agosto de 2011

Post direcionado


Você nos acostumou mal. Em algum momento lá no passado, você decidiu, sem querer, que a sua arma pra se garantir nesse mundo seria a doçura. Açúcares e afetos acostumam e viciam. Nessa vida tão cheia de gente doída e maluca, é quase um bálsamo esbarrar com você por aí, com esse seu riso fácil, seu humor delicinha e sua cara  boa de boa gente. Daí que é muito fácil te querer por perto, daí  que é muito facinho, facinho se acostumar com tanta mansidão, enquanto o mundo lá fora é tão inóspito.

Eu me acostumei mal. Em vez de dar um jeito nas minhas próprias maluquices, prefiro ouvir sua risada e me perder em horas infinitas no telefone. As maluquices não se curam, mas as risadas são tantas, as filosofices são tantas, a proximidade é tanta que eu me sinto leve , leve, quase flutuo. E fico achando que,afinal, ser " maluco" é normal e feliz. Benditas sejam as sandices compartilhadas.

Me acostumei mal  a reaprender os sons através da sua voz doce. Você diz assim: " Conhece essa música, Ju?" e cantarola baixinho, suave e eu já acho que a música da Vanessa da Mata, do Caetano, do Gil já não é  mais a mesma. A sua versão é a que fica pra mim.

Você suaviza a minha vida, e acho que faz isso com todo mundo também.

Apesar do ônus e da canseira, doçura é melhor - a sua doçura é melhor. Se bem que é perfeitamente lícito ser humano e áspero de vez em quando. A gente  se espanta, mas aguenta, porque até a sua secura tem o tom mais leve : parece de mentira, não dura mais que dois segundos. Que bom!

Um torrão de açúcar pra você, meu bem!








2 comentários:

Maeve disse...

xiiii a Ju tá apaixonada!

Thais disse...

Diz pra mim se esse não é um texto de uma pessoa apaixonada, diiiiiiiz?!!!!!!!!!!!!!!