terça-feira, 6 de setembro de 2011

De criança

Quando eu era uma menininha de tranças com  laços vermelhos - amava minhas fitinhas vermelhas -, minha mãe era sócia do Círculo do Livro. Ainda existe o Círculo? Não sei. Só sei que bimestralmente chegava aqui em casa uma revista cheia de livros em suas páginas e eu surtava; passava tardes e tardes folheando a revista. Foi assim que me apaixonei por Saramago, mas essa é uma outra história. Então, voltando:  por conta da assinatura do Círculo, tive muitos livros em casa ao longo da infância e um deles foi O Ônibus do Tamanho do Mundo, do J.M. Simmel



O enredo? Não me lembro direito. Sei que  havia um ônibus, umas crianças, um carneiro chamado José, uma professora, um menino guloso chamado Martinho, um menino herói chamado Tomás ( fui muito apaixonada por Tomás. Meu modelo de homem, claro, ai, ai!) e uma avalanche. Sim, avalanche porque a aventura se passava na Áustria. A avalanche caía na estrada, impedia o ônibus de seguir viagem, a professora sofria um acidente e as crianças passavam a se cuidar sozinhas.  Havia muitas adversidades e neve também, porém eu só me lembro bem  mesmo de que  as crianças juntavam todos os seus lanches num grande cobertor e faziam um mutirão pra dividir a comida. Meu sonho era que um ônibus em que eu estivesse quebrasse, com várias crianças dentro obviamente, pra que eu pudesse comer sanduíche de salsicha igualzinho aos meus amigos do ônibus do tamanho do mundo. Também queria uma avalanche, mas tinha consciência de  que ,morando no Rio de Janeiro, esse seria um item mais complicado de conseguir. Mas era um grandíssimo sonho, viu?

Eu amava esse livro. Reli umas mil e quinhentas vezes. Se ele ainda estivesse na minha estante, estaria relendo agora. Pois é,não tenho mais O Ônibus do Tamanho do Mundo. No trote da faculdade, fizeram uma arrecadação de livros que seriam doados pra crianças; depositei meu exemplar na caixinha de coleta. Achei que o Tomás,  o Martinho, o carneiro José  e meus outros companheiros de ônibus  mereciam conhecer outras crianças. Espero que eles estejam bem!

Que delícia relembrar desse livro, gente!  Muitos suspiros...




5 comentários:

Rita disse...

Ai, que coisa mais bonitinha!

Gostei demais desse post, porque é assim mesmo que criança sonha, eu me lembro e hoje vejo nos meus filhos: "queria que fosse assim comigo!". É bem assim, eu sei.

bj
rita

Palavras Vagabundas disse...

JU,
este é o mês de aniversário do meu blog, posso publicar esse texto seu? Com os devidos créditos!
bjs
Jussara

Chico Mouse disse...

Ah, mas sempre tem aqueles que a gente lembra com muito carinho da infância, né? Eu me lembro muito daquela 'Coleção Vagalume'... nossa, adorava... [também suspira] :)

Felipe Fagundes disse...

Adoro esses seus posts *-*

Vivien Morgato : disse...

Eu era sócia, gostava das edições, com capa dura, coisa e tal. ;0)