segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Resumo de Natal





O Natal desse ano foi muito diferente. Além de passar 15 horas no escuro (  para a Light, todo meu amor) e no calor ( gostaria de lembrar que moro no Rio de Janeiro) e ganhar um livro no amigo oculto da família 
(em 27 anos, foi a primeira vez que decidiram me dar algo de que realmente gosto), não senti a menor vontade de ser um duende do Papai Noel. 

Sempre fui uma entusiasta do Natal, daquele tipo que atende o telefone cantarolando Noite Feliz e pendura guirlanda até no box do banheiro, mas dessa vez não rolou. Os fungos continuam me impedindo de ouvir, fez um calor pavoroso no sábado, depois choveu horrores,  as mulheres decidiram relatar seus partos ao longo da madrugada escura, o cunhado da minha prima me perguntou umas vinte vezes por que ainda não me casei, o pernil não tava gostoso. Se  ao menos eu gostasse de  rabanadas... Todo mundo tava dizendo que as rabanadas eram a melhor coisa da noite.

Não comprei presentes pra ninguém, não pude usar meu rímel novo (maravilhosa Light) e  perdi o post de Natal menos amargurado porque faltou luz enquanto eu escrevia (eu já disse que amo a Light?).  Já no finalzinho do dia 25, achei que seria legal ver Simplesmente Amor. Tava lá naquela cena em que o Hugh Grant manda transferir a Natalie quando a luz faltou pela milésima vez em 24 horas. Dá pra ser feliz quando a luz acaba antes de o Colin Firth aprender português?


Nem a Aline Barros e  o Paulo Victor ( alguém ainda se lembra dele?) conseguiram me animar. Uma criança cantando a mesma música por 3 dias deveria animar a gente, né?


Que venha o drama " onde vou passar o Réveillon?".

8 comentários:

Felipe Fagundes disse...

Acabou a luz na sua casa também? oO

Meu dia 24 foi um terror. Com certeza foi o meu pior natal de todos os tempos. Primeiro, porque a minha mão teve que trabalhar e eu fiquei sozinho em casa, já que todos do quintal vão para a rua encher a cara e a minha irmã já tem uma casa só pra ela.
Pra completar, estava um calor infernal e a minha casa já é abafada por natureza. Não demorou muito para todas as baratas voadoras saírem de suas tocas para passear. Foi uma chacina. Matei 3 e tenho quase certeza que deixei uma delas aleijada. Não bastasse a minha paranóia de ficar vendo vultos na parede, na janela e sair correndo atrás pensando que eram baratas... A luz acaba!

E lá estou eu, sozinho, no escuro, com calor, sem computador e com uma dúzia de baratas voadoras.

O dia 25 foi ligeiramente melhor porque a família apareceu. Mas a luz não voltou e eu fiquei o dia todo sem ter o que fazer, até tentei ler um livro mas não consigo fazer isso o dia TODO. Graças a Deus a noite foi animada porque fui para a casa de uns amigos para bater papo e rir do Show do Roberto Carlos em Jerusalém (Ah, desculpa, você se apaixonou por ele num post passado!) .

Felipe Fagundes disse...

PS: Quando eu cheguei em casa depois que fui na casa dos amigos, a minha casa ainda estava sem luz. Jantei no escuro e dormi sem ventilador ¬¬

Lia disse...

Meuooooooooooooooo Deus... Achei que meu Natal tinha sido péssimo mas vc e Felipe me fizeram acreditar que o meu foi maravilhoso!!! rsrsrs

Olha... o meu tbm foi tenso!!
Tentei até escrever sobre ele ontem, mas ainda não consegui digerir tudo...

Que venha o Reveillon, logo... pelo amor!!!

Deise Luz disse...

Ju, depois do vídeo do sorteio a leitura dos seus posts vem acompanhada da sua voz, rsrs

Cíntia Mara disse...

Você tinha vontade de ser um duende? Isso me lembra da Katie e daquela cena super vergonha alheia no carro da Cris.

Graças a Deus, meu Natal foi melhor que o esperado. Ri muito a noite inteira. Já o Réveillon... Sei não :/ Você não ia passar em Copacabana com a Lia?

Karine disse...

Foi mal, mas tô rindo muito... Seu Natal e o de Felipe foram engraçados. Depois que passa, a gente ri!!!

Passar uma madrugada inteira no escuro ouvindo histórias de partos... é pra filme de terror nenhum botar defeito!

Beijos.

Pandora disse...

Seu natal não foi assim... animado, mas eu adoro o Grinch e esse seu mau humor pós-natal me parece semelhante ao dele rsrs... Enfim, confesso que já tive natais infinitamente piores, esse ano fiquei com minha família, em casa, vestindo roupa velha comendo galinha e doces e bebericando vinho... um tédio e um prazer ao mesmo tempo!!!

Rita disse...

Você. Não. Gosta. De. Rabanada.

Cho-ca-da.

Tá bom, parei.

bj
Rita