domingo, 8 de abril de 2012

Click

Tenho cá minha política de não postar fotos minhas ou das pessoas de quem falo aqui no blog. Sou paranoica! Penso logo na possibilidade de um serial killer,com uma quedinha por blogueiras,vir atrás de mim assim que eu exibir minhas fotos glamourosas.Continuem me amando, por favor! Mas hoje me deu uma vontade danada de mandar a paranoia pras cucuias e mostrar  pra vocês uma foto linda com duas crianças frequentadoras dos posts do  Fina Flor. A vontade veio mas passou, porque a mãe de uma das crianças não gosta de colocar fotos do menino na internet. Vontade de mãe foi feita pra ser respeitada, né? Com isso, vocês deixaram de ver a carinha de Vinicius e Paulo Victor. Mas não tem problema. Descrevo a foto pra você:

Vinícius é o bebezinho, com cor de pãozinho de canela e uma boquinha marrom. Todo mundo tenta fazer com que ele saia com uma carinha simpática nas fotos, mas  Vinícius não está interessado em simpatias; ele franze as sobrancelhas, olha intrigado praquelas pessoas que espocam luzes na cara dele. Vinícius não tem interesse em ser um bebê fofo. Dane-se o mundo! Ele só relaxa o cenho quando o pai dele fala, aí sim e arregala olhões e acompanha aquela voz que o chama de " filhão bonitão do papai". Aliás, os olhões de Vinícius são de deixar a gente boquiaberta: enormes, escuros, brilhantes e sérios. Os olhos da mãe. Vinícius é a cara da mãe. Chega dar nervoso. Ele tem a cara da mãe, a marra da mãe, aquelas sobrancelhas franzidas são iguais às da mãe; as bochechas também foram determinadas pelo cromossomo X.

Paulo Victor já foi um assíduo frequentador do Fina Flor.  Ao longo desses anos, eu registrava as coisas engraçadas que ele dizia. Nossa, e ele dizia coisas que rendiam risadas por dias. Eu ainda rio só de lembrar do dia em que ele me contou que a professora dele tinha virado uma galinha. Mas Vitucho cresceu ( ele cresceu, mas o apelido permanece. Ele faz questão de que eu o chame assim, acreditem!), agora tem 6 anos, passou da fase das absurdices. Paulo Victor agora diz coisas muito coerentes. Hoje mesmo ele quis saber por que uma coleguinha tinha um olho que "olhava pro lado errado". A mãe dele explicou mais ou menos o que era estrabismo, e ele ficou muito decepcionado ao descobrir que o modo de olhar da menininha era um problema. " Eu gostei do olho dela. É maneiro. Mais maneiro que o meu, que é igual ao de todo mundo." E ele diz coisas assim com um jeitinho que quase cai no estereótipo do carioca marrento. 

Na foto, Paulo Victor é o menino alto, de pernas compridas, tronco da cor que se fica quando se passa tardes e tardes na piscina. Ele não está sorrindo. Vitucho não é de sorrir em fotos. Aliás, ele nem é fã de posar pra elas. Não gosta de ficar parado esperando pelo flash. Ele prefere correr pelo quintal, testar minhas habilidades de goleira e tentar me dar " balãozinho", jogar video game, soltar as pipas que nunca consegue colocar no alto, assistir mil vezes ao mesmo desenho. Paulo Victor também tem olhões. Dizem até que os olhões dele são iguais aos da mãe do Vinícius. São parecidos sim: o mesmo tom fechado de castanho, o mesmo formato amendoado. Mas Paulo Victor tem nos olhos algo que é só dele. Eu não sei o que é, não sei definir. É algo que dá vontade de encará-los eternamente.

A foto é tão bonitinha, gente!

Nenhum comentário: