segunda-feira, 16 de abril de 2012

De quando você só quer deitar no tapete da sala, em posição fetal, e não levantar nunca mais.


Tá certo que o "nunca mais" vai durar até o momento em  que o estômago começar a doer de fome, ou o telefone tocar, ou  o arroz queimar no fogo, ou dar a hora de ir pro trabalho, ou chegar aquele e-mail que você tanto quer, ou a coluna latejar. Mas  o que vale é a intenção.