sábado, 5 de maio de 2012

Terra da garoa

Que preguiça! QUE PREGUIÇA! É brabo voltar à vida normal depois de passar quatro dias sendo deliciosamente mimada.



No feriado, fui dar uma passeadinha em São Paulo. Apesar do avião da ida e das seis horas de ônibus na  volta, acho estranho dizer que viajei pra São Paulo. Tão pertinho, logo ali. Fui passear nessa cidade que sempre ferra com a minha garganta e cisma de ficar absurdamente fria toda vez que boto meus pés por lá. Basta que eu vá pra São Paulo para que a cidade tenha sua noite mais fria do ano. Amante do sol quente e acostumada  a viver na abafada região metropolitana do RJ, precisei de muita coragem pra encarar o chuveiro e o vento frio que me deixou com as bochechas rosadas.

Apesar do frio, São Paulo, essa vizinha aqui do lado, sempre é gentil comigo. Sempre encontro paulistanos legais que impedem que eu pegue o metrô errado, que me levam aonde quero chegar, que sorriem só porque eu peço desculpas com esse sotaque bonito, lindo e maravilhoso que o Rio de Janeiro me deu. É bem comum chamar os paulistas de apressados, durões, sérios; eu prefiro chamá-los de gentilíssimos. Pode até ser que eu tenha tirado a sorte  grande  de turista e só tenha cruzado justamente com os únicos paulistas legais. Pode ser, mas eu duvido.

Dessa vez, fui pra casa da minha amiga Lia. Ela disse que, depois de me hospedar nos Jardins e na Paulista, eu  precisava conhecer a realidade da vida, então fui pra casa dela, num bairro menos engomadinho. Bem, fui tão feliz quanto daquela vez em que descobri que a Oscar Freire ficava ali na esquina. Eu tenho muitos motivos pra  gostar da Lia. Muitos. Ela diz pra todo mundo que eu sou legal, diz que meu cabelo é maneiro, me manda e-mails animados, me empresta os cobertores mais quentinhos do mundo, paga minha passagem porque eu nunca tenho dinheiro trocado, vai me pegar no aeroporto. Tá bom ,né? Não, tem mais. Lia é esse tipo de amiga que sabe antes de você que é hora de pedir arrego e te oferece todas armas e ferramentas para que você descanse um pouco da loucura dessa vida. Tem como não amar? E não é só isso! ( a iogurteira top therm faz um delicioso... =p) Lia vem acompanhada de um combo de amigos   tão especialistas na arte de fazer com que você se sinta bem que dá vontade de trazê-los pra casa, só pra garantir. Os amigos da Lia retribuem uma tarde que eu passei com eles no Arpoador com passeios por lugares com comida MARAVILHOSA , a ESPETACULARMENTE DELICIOSA pizza da Mooca, com casa acolhedora, presentinhos, simpatia, bom humor. Ai, ai.

Ah, posso bancar a turistona com vocês só um pouquinho? Cês conhecem o Museu da Língua Portuguesa? Se não conhecem, prometam pra mim que vão aparecer por lá quando estiverem em São Paulo. Prometido? Eu juro que é legal! Quer dizer, eu acho muito legal e queria que  todas as escolas do país tivessem um daqueles no pátio. Ah, e aproveitem pra comer pizza marguerita numa daquelas cantinas do Bixiga e qualquer pizza em algum lugar na Mooca. Dizem que toda pizza de São Paulo é gostosa, mas minha experiência me diz que não é bem assim. Eu só coloco minha mão no fogo pelas que comi nesses dois bairros. Ah, se der, comam  o pastel de palmito com queijo do Mercadão! Ah, claro,  tem também o sanduíche de mortadela ( que eles chamam de  "lanche" de mortadela). Já chega, né?

Só pra terminar, vou fazer  uma outra recomendação que não tem nada a ver com São Paulo, mas vale a pena aproveitar o post. Sabem o livro @mor? Queria escrever um post beeem empolgado sobre ele porque o livro merece, no entanto a preguiça, no momento, é maior que eu. Como boa preguiçosa, vou aproveitar o que a Lílian disse sobre o livro e assinar embaixo. Gente, eu fiquei doida por esse @mor! Deem uma olhada no resumo do livro. Quem curte esse tipo de livro, PRECISA ler @mor. Sério mesmo!

Agora, eu vou de verdade! Tá um sol bonitão lá fora e eu preciso ir ao supermercado. Feriado, São Paulo, sanduíche de mortadela, que saudade!


4 comentários:

Luana disse...

Ai que saudades da minha cidade linda, cinza, chuvosa e cheia de paulistas que so tem a cara de bravos - juro!

Cheshire cat disse...

Não é por nada não, mas minha terra é demais, hehehehe.

Lia disse...

"Lia é esse tipo de amiga que sabe antes de você que é hora de pedir arrego e te oferece todas armas e ferramentas para que você descanse um pouco da loucura dessa vida."

Gente que coisa linda de ler!!! ^^
Ju, é sempre bom ter você por perto!!!
Volte sempre!!! =D

Daniela disse...

Eu detesto São Paulo. GRANDE parte da minha família mora lá, a minha certidão diz que eu NASCI lá, mas detesto.

Mas o Museu da Língua Portuguesa é muito ducarai. Melhor museu do Brasil