terça-feira, 12 de junho de 2012

O bilhete

Acabei de me lembrar de uma historinha de dia dos namorados. Eu tava na sétima série e havia na minha turma um menino bonito pelo qual metade da escola era apaixonada. Eu também era apaixonada por ele, mas não completamente porque meu coração pertencia um pouco mais àquele que seria um amor bem grande. O tal do menino bonito exercia um fascínio absurdo sobre nós, mas não parecia interessado nesse tipo de poder. Analisando do meu ponto de vista de hoje, consigo perceber muitos sinais de que ele estava descobrindo que seu interesse estava voltado pros outros meninos. Na época, eu só queria saber de cobiçar o garoto. 

Daí que num 12 de Junho a escola promoveu um correio do amor. Fomos avisados com antecedência pra que nos preparassemos, e eu me preparei. Em casa, recortei  letrinhas de jornal e revista e colei cada uma delas numa folha de ofício amarela, formando uma mensagem da qual não me lembro. Deve ter sido uma mensagem bem espirituosa porque o menino bonito gostou do que leu. O bilhete,claro, não tinha minha assinatura, e eu me delicei duplamente: despertei a curiosidade do menino e passei a carregar comigo a resposta pra um mistério que ninguém conseguiu desvendar.

Ei, Gabriel, o bilhete era meu.

P.s.: Gabriel é um nome fictício porque não consigo me lembrar do nome do menino de jeito nenhum.

3 comentários:

Luana disse...

O meu menino bonito chamava Pedro... E eu nunca mandei bilhetinho, tinha medo dele descobrir.. =)

Páginas Da Minha Vida disse...

ah,minha escola tb tinha esse correio.tb mandei uma para um garoto que eu dizia que "amava" muito ( 9 anos, agora tu vê...).Não coloquei meu nome,fiquei com vergonha :/

Bons tempos aqueles de criança...

livroseoutrasfelicidades disse...

Adorei a historinha :-)