quinta-feira, 19 de julho de 2012

Brincando de resenhar: Jogos Vorazzzzzzzes

Toda vez que via Jogos Vorazes por aí, eu reforçava em mim a certeza de que jamais leria esse livro. Deus me livre de um livro cujo enredo envolve crianças e adolescentes lutando até a morte numa arena televisionada. Jamais! Um livro assim poderia me levar à desidratação e a sessões extras de terapia. Não, obrigada.  Mas aí surgiu uma oportunidade de adquirir dois livros da trilogia por um preço bem camarada, então decidi me arriscar. Comprei uma caixinha de lenços e comecei a ler.




As dez primeiras páginas são muito promissoras. A gente conhece a mocinha de nome esquisito, a Katniss, a rotina dura da vida das pessoas do lugar onde ela mora,  o melhor-amigo- galã. Sabemos  sobre a Capital e os Distritos que formam um Estado que surgiu após o desaparecimento da América do Norte e que os Jogos Vorazes são um evento político. De cara também, nos deparamos com uma cena de cortar o coração: Katniss, ao ver sua irmã de 12 anos ser selecionada para a arena, se oferece como tributo, nome dado aos participantes dos jogos. Bem, nesse ponto eu pensei:  " agora a chapa vai esquentar!"

Esquentou nada! Apesar da premissa maravilhosa, de personagens muito legais, de uma mocinha porreta, o livro é chatinho. Não estou dizendo que é ruim, não. Mas que faltou um toque de emoção, graça, sei lá. Falta alguma coisa em Jogos Vorazes que eu não sei o que é. Acho que o problema, talvez, esteja no texto. A narrativa não reflete a crueza e a intensidade dos Jogos.Fiquei com a impressão de que a história foi concebida inicialmente como roteiro pra cinema. Enfim, esperava mais e acho que Katniss merecia bem mais.

***

Se alguém aí tiver interesse em livros sobre fim da América do Norte e Estados repressores, eu indico muito O Conto da Aia, da Margaret Atwood.

Cês me indicam algum?

9 comentários:

Maeve disse...

E eu que tava doidinha pra ler, agora nao perco meu tempo, rs
Queria tanto voltar a ler, sinto tanta falta...
:(

Cheshire cat disse...

Eu não li o primeiro (só vi o filme) e li os dois últimos. Talvez a tradução não faça jus à narrativa original porque olha - tinha horas em que eu queria parar de ler e abraçar alguém, de tão tensa que a coisa ficava. E achei a história densa mesmo, de vários níveis, que fala de várias coisas que não tinham sido tratadas até então na literatura dia para "adolescentes".
De qualquer maneira temos que reconhecer que a garotada precisava de uma heroína como a Katniss - humana, cheia de defeitos mas corajosa, absurdamente corajosa. Chega daquela chata da Bella!

Juliana disse...

paula, me disseram que o outros dois são bem melhores. eu imagino que filme seja legal.

Páginas Da Minha Vida disse...

Olha,também peguei esse livro e me deu sono.Achei que só eu não tivesse visto graça nele.

O livro que te indico ( aliás, nem sei se posso indicar já que não terminei de ler tudo) é "Melancia".Você já leu? Nossa, é um livro tão leve, tão divertido...estou amando! No começo não dei nada por ele, porque com um nome desses, achei estranho, ainda mais vendendo na Avon rsrsrs mas é maravilhoso.

bjs

livroseoutrasfelicidades disse...

Ah, Juliana, que pena que você não gostou! Eu sou do time dos viciados em Jogos vorazes... rs
Mas ler é isso aí, a experiência é pessoal e intransferível.

Andrea disse...

Eu sou do time (há mais gente assim?) que nem tchum pros livros ou pro filme. Tentaram me levar pro lado voraz da força, mas não teve jeito. Tédio só de ouvir falar na trilogia.

E ó, Marian Keyes é bacana, apesar de Melancia não ser o meu preferido dela. ;-)

Fernanda disse...

Um momento: O GALE, GALÃ???? Er, não. #detestoogale

Eu gostei muitooo³ desse livro. Não achei que faltou emoção, não! ;)

Bjs

Palavras Vagabundas disse...

kkkk, já não tinha nenhum interesse nesse livro, agora que não vou ler, mesmo!
Alguém me disse que é livro para pré-adolescente sem noção,confere?
bjs
Jussara

Juliana disse...

ô, ju, não é um livro desse tipo aí, não! é bem legal, só que o texto é superficial.
Não sei se você gosta de livros juvenis. Eu gosto bastante.