quinta-feira, 23 de agosto de 2012

13 anos depois, e nós ainda  paradas na esquina, sem saber onde comer. Uma reclamando do calor, do suor, do sinal que nunca abre, porque reclamar é quase uma profissão de fé. A outra repetindo ad aeternum o dilema "o prato que você escolheu é melhor que o meu".A gente se queixa de que nada muda, apesar dos cabelos diferentes, dos diplomas, da perdas, das sortes, das muitas reprises de Friends.

Mas ambas concordamos  que diálogos permeados por " Aracaju é linda, mas se eu ficasse mais um pouco enjoaria.", " Tô com preguiça de ir pra Búzios!",  trocados numa tarde de quarta, num restaurante simpático nos faz parecer adultas de verdade um tanto privilegiadas. Se bem que, pra provar que a maturidade jamais nos alcançará, você coloca  pacotinhos de sal no café, enquanto tagarela distraída. Nada é mais a sua cara do que colocar sal no café  - sem perceber, claro! A gente experimenta o café salgado, e eu arremato com brilhantismo: " Coloca açúcar pra ficar com gostinho de soro caseiro."

( Café com sal é terrível, mas café com sal e açúcar é ainda pior. Não façam essa experiência em casa!)




2 comentários:

Cíntia Ribeiro disse...

Tomar café é uma coisa bem adulta, dona Juliana. Da próxima vez, peça um chocolate =P

Lia disse...

Que delícia.... de tarde!