quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Há uns anos, tive um emprego que eu odiava. No início, achava que o problema era eu, ou, mais especificamente, o processo seletivo que me escolheu. Meses depois, saquei que aquele lugar era uma furada mesmo. Era uma típica empresa de aparências: excelente propaganda e lavagem cerebral que convenciam clientes e funcionários e um sistema  de exploração disfarçado de meritocrácia. Uma furada, uma roubada, não gosto nem de passar na calçada.

Enquanto estive lá, conheci um pessoal bem legal. Alguns desses colegas eram pessoas apaixonadas pela empresa, que vestiam a camisa; alguns  só faltavam fazer uma tatuagem. O discurso da empresa era mesmo muito sedutor; eu sofri o diabo pra pedir demissão.  Depois que saí, não tive mais o contato com essa galera, até que hoje encontrei o facebook sugeriu  uma das minhas ex-colegas como amiga. A menina era uma daquelas que estavam prestes a fazer uma tatuagem,  e eu fiquei toda feliz de ver no perfil  que  ela tá trabalhando em um lugar bem melhor, bem à altura do talento dela.

Me deu um alívio e uma esperança.

Um comentário:

Lia disse...

Ufa... que bom!!! Encontrou a luz...