quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Ouvi de uma menina de 13 anos: " Eu não vou fazer porque você tá pedindo, vou fazer porque eu quero. Eu só faço o que eu quero." Eu ri. Não devia, mas ri. Não gargalhei; foi um riso fraco, tão cansado quanto as outras partes do meu corpo. Um riso que a menina não entendeu. O objetivo dela era me afrontar; ela tem 13 anos, afrontar figuras de autoridade faz parte do pacote.

Eu ri porque a fala dela é tão carregada dessa ilusão besta que a gente gostaria de ter: a de viver pro nosso desejo.Também estava nos meus planos fazer só o que eu quero. Nossa! Acordo todos os dias certa de que só o que eu quero me importa. Mas, né, nem preciso dizer nada. 





3 comentários:

livroseoutrasfelicidades disse...

Doce ilusão da adolescência. Até ela descobrir o tanto de coisa que a gente tem que fazer e não quer...

Fernanda disse...

Tadinha. A vida ainda vai mostrar pra ela... ah, as ilusões dos treze anos. QUEM ME DERA poder fazer apenas o que eu quisesse...

PS: Mas que ela foi abusada contigo foi, hein? PRO CANTINHO DA DISCIPLINA JÁ! Humph.

Rita disse...

Eu me lembro de na adolescência ter PENA dos adultos. Pra você ver.