sábado, 3 de novembro de 2012

Ontem, morreu um vizinho meu, um moço mais ou menos da minha idade. Nós não tínhamos nenhuma intimidade, duvido que ele lembrasse do meu nome, é possível que a gente tenha participado das mesmas brincadeiras quando crianças, não sei. Uma morte absolutamente inesperada, acidente de motos. Minha tia contou pra minha vó ao telefone. Enquanto elas conversavam e eu só ouvia as exclamações de espanto da minha vó, tentava deduzir de quem elas tavam falando. Em nenhum momento, pensei nesse moço - em parte, porque eu mal me dava conta de que ele estava ali, na casa quase ao lado; em parte , porque a gente não espera que motoqueiros prudentes se acidentem. Me peguei dizendo, feito uma velhinha: é por isso que odeio motos. Nada me apavora mais que motos, e o temor só aumenta.

Quando a gente  mora há muito tempo num lugar, nem percebe o quanto sabe dos vizinhos, do cara da padaria, da dona do mercadinho, do dono do bar. Por mais que não se tenha nada a dizer para eles, querendo ou não, se tem o que dizer sobre eles. Ontem, antes de dormir, involuntariamente, fui fazendo um inventário da vida do moço do acidente de  moto: me lembro do uniforme da escola em que ele estudou, o tio dele colocou os vidros da janela aqui de casa, a mãe dele era mesária da sessão onde voto, andei de ônibus inúmeras vezes com a esposa dele. E nesse processo de remontar essa história de vizinhança compartilhada, me lembrei de que é de um dos aniversários dele uma de minhas lembranças mais significativas.

Eu não como doce ( chocolate não entra na categoria doces, ok?), consequentemente não como bolo. Pois é,  não gosto de bolo. Agora, imaginem o que é ter 5 , 6 anos de idade e não gostar de doces. Toda criança gosta de doce, eu não gostava de doce, logo...  E nada era mais torturante pra mim que festas de aniversário. Melhor: nada era mais torturante que o momento do parabéns! Eu morria de ansiedade e de medo de chegar aquela hora em que um pedaço daquele bolo apareceria na minha mão. Veja bem, eu sabia que bolos não eram bombas prestes a explodir, a ansiedade advinha especialmente do ensinamento que a minha querida vó me enfiou goela abaixo: NUNCA, JAMAIS, RECUSE um bolo de  aniversário. SOB HIPÓTESE NENHUMA, diga pras pessoas que você não quer o bolo porque não gosta do bolo. É falta de educação, é feio, é o fim do mundo. E lá vinha eu pra casa com um bolo todo amassado na mão, um bolo que eu jamais comeria, cheio de glacê, eca! Detesto glacê.

Olha, levei anos pra quase superar isso. Ainda hoje, nos aniversários, fico um cadinho tensa - um cadinho menos, mas ainda fico - e agradeço aos céus o fato de ser adulta e poder dizer não,não quero. Quando me perguntam se tô de dieta, digo logo, marcando território, deixando bem claro pra minha vó, que NÃO, EU NÃO GOSTO DE BOLO. É tão bom dizer : não gosto, não quero, obrigada, mas que festa boa a sua, hein! Melhor ainda, é comemorar meus aniversários sem bolo. Mas, Juliana, as outras pessoas comem! Não quero saber das outras pessoas. Pra que bolo? Serve torta salgada? Uma amiga já me disse que serei realmente feliz no dia em que eu oferecer um desses bolos fofinhos que eu faço ( desculpem a falta de modéstia, tá?) aos meus convidados, o meu bolo, batido à mão como eu gosto,  com um sorrisão na cara , num 26 de junho desses que estão por vir. Quem sabe? A gente faz terapia pra essas coisas, né?

Mas o que tem a ver o moço da moto e os bolos que não comi? Foi num aniversário desse rapaz, provavelmente há mais de 20 anos, que me dei conta pela primeira vez que odiava trazer o bolo que eu não ia comer pra casa. Não me lembro da festa, nem sei por que exatamente fui convidada, mas fecho olhos hoje e mais uma vez atravesso o portão da casa dele com aquele bolo melecado de glacê na mão, contrariada e irritada. Como são peculiares os caminhos que a memória da gente percorre!

Lamento muito a morte desse meu vizinho. Lamento por ele, pela família, pela esposa, pelo vazio que ele deixa no mundo.

10 comentários:

Aline Gomes disse...

Muito triste a morte do vizinho.

E sua história com bolo tem tudo a ver com a Blogagem Coletiva lá do blog.

No meu caso só como o recheio, a parte do meio, detesto cobertura de bolo, super enjoativo. E o recheio nao pode ser de goiabada, só vale abacaxi, leite condensado, ameixa, coco e doce de leite.

Você teve festa de aniversario quando criança?

Juliana disse...

aline, sempre tive festas de aniversário, de todos os tipos e sempre com bolo, mas o problema não tinha problema porque eu não tinha que pegar o meu próprio bolo. Eu não comia e pronto.

O problema era recusar o bolo dos outros. A maior desfeita do mundo! hehehehehe

vc só come o recheio? Que coisa! Recheio mesmo é que não como porque sempre são bem doces. E concordo contigo, cobertura é algo muito enjoativo. e quando regam o bolo com licor? eca!

Andrea disse...

Gente, mas festa de aniversário sem bolo não é festa! XD

Mas sério, concordo com a parte da moto. Eu odeio, não ando, e digo pra todo motoqueiro que conheço o quão perigoso esse meio de transporte é. Chego a ser A CHATA.

Eu não tenho intimidades com os vizinhos, mas sentiria a mesma coisa caso acontecesse alguma coisa com eles.

Juliana disse...

Andrea, vc não tem medo de morrer, né? kkkk Olha, o quanto eu já ouvi essa de festa sem bolo que não é festa.esse ano, uma amiga fez um bolo e levou pro piquenique-festa que organizei. teve até foto cortando o bolo.

Posso contar nos dedos as vezes em que subi numa moto. Todas elas com uma amigo em que confio muito, que respeita meu medo e olhando o velocímetro pra não passar do 40km. E sempre desço tremendo da cabeça aos pés, e cada vez que sei de acidentes, fico com mais medo.

Vanessa Carneiro disse...

Triste isso. E é meio estranho quando se pensa que meio que convivemos com tantas pessoas, mas não fazemos parte da vida delas e vice-versa.

Deise Luz disse...

Uma semelhança: ODEIO motos, morro de medo. Uma vez queimei a perna e passei a odiar ainda mais, nunca mais subi em uma.

Uma diferença radicalíssima: AMO doce de todo o meu coração. Não vivo sem. Tô fazendo uma dieta agora pra reduzir triglicerídeos e, olha, difícil, viu. E bolo cheio de cobertura então, adoro!

Juliana disse...

né, vanessa?

olha, deise, se eu tivesse queimado a perna, eu teria morrido do coração!

Cíntia Ribeiro disse...

Também odeio motos. Tenho lembranças nada legais de um tio meu todo machucado porque vivia se acidentando. Graças a Deus, nunca houve nada mais grave.

Perto do meu trabalho dá muito acidente de moto, é horrível =/

Falando de coisas boas, você tinha que ir a festas de aniversário comigo. Sabe o que minha mãe falava? Que era falta de educação pedir outro pedaço. Imagina o que é isso pra uma pessoa que ama bolo mais do que qualquer outro alimento. Ju, nós seríamos companheiras perfeitas!!! No meu aniversário de 18 anos, o único que eu fiz festa por vontade própria, fizeram dois bolos: um pra festa e o outro pra mim. Só pra mim.

Lisa disse...

Também tenho uma amiga que não gosta de bolo. No aniversário dela, ela serve sempre brownie com sorvete.

Momento conversa da Baixada:
Qd era criança gostava dos bolos da Sobel pq vinham com aquela bomba de chocolate em cima. Hj acho o bolo de chocolate da ArtPão o bolo dos bolos. (NÃO É POSSÍVEL QUE VC NÃO GOSTE DO BOLO DA ARTPÃO!)

Mas então, eu gosto de bolo. Mas não é a minha parte preferida da festa. Pq qd chega a parte do bolo, a gente já está cheio, sem vontade de comer bolo. Prefiro levar pra casa tb. Tem sempre aquela tia que não deixa a gente sair sem levar um pedaço de bolo pra mãe.

Sabe o que eu pensei agora? Que deve ser muito irônico qd vai chegando o fim da festa e vc está louca pra ir embora pra fugir do bolo, aí chega alguma tia sorridente: "Fica, vai ter bolo!". Imagino que vc deva ter odiado o meme tb. rs

Abs!

Juliana disse...

Cíntia, te disse que minha prima cumpre essa parte, né? Dependendo da festa, ela já pega a minha parte e pronto.

Lisa, ArtPão é tradição, amor e paixão, né? kkkk Toda festinha tem um kit ArtPão. Não como os bolos, mas devoro os salgados. No Mas o melhor mesmo é o pão francês. Hummm!

E da Pimpininha? Vc gosta? Aqui em casa o pessoal ama mais os kits da Pimpininha.