sexta-feira, 26 de abril de 2013

Meu aluno escolheu ler A Moreninha  e teve de falar sobre o livro pra turma. Eu achei uma escolha meio estapafúrdia. Se eu pudesse escolher o que  ler e estivesse ganhando ponto por isso, jamais pegaria A Moreninha. Li quando tinha  a idade do meu aluno e tive certeza de que não sobreviveria à tamanha chatice.O rapaz se preparou todo pra falar por 10 minutos. Escreveu um roteiro e tentou se lembrar dos detalhes da história sem consultar o papel. O danado do roteiro tremia  nas mãos dele, mas a voz estava firme. O garoto tava nervoso pra caramba. E nem precisava de tanto nervosismo:  ele quase me convenceu de que o livro não é tão chato. Quase.

Em horas como essa, eu me sinto uma impostora. Adolescentes em geral  fazem com que eu me sinta uma fraude. Eles são tão óbvios em suas fraquezas, medos, mentiras. Acham que tão sussurrando no fundo da sala e ficam chocados quando eu respondo ao que não foi dito pra mim. Não sou surda, eu digo. Eles não falam baixo, não sabem esconder o celular que não deveria estar ligado.São de uma obviedade que me faz dar gargalhadas. Às vezes, eu dou gargalhada e devo passar por louca. Eu deveria ser a pessoa séria do recinto, mas tem horas que  não dá.

O menino da Moreninha e a turma toda levaram muito a sério todas as recomendações que fiz sobre a apresentação. Eu disse que tinha que fazer roteiro, disse que tinham que me provar que tinham lido livro. Queria opiniões e detalhes. Até agora, eles seguiram à risca tudo que pedi. Quase todos leram livros que eu já li e ficaram desesperados com essa informação. A menina que  falou sobre Um Dia quase caiu dura quando eu sabia de cor um dos trechos do livro. Me deu vontade de rir da cara que ela fez. Bem, eu ri , e ninguém entendeu muito bem por que eu tava rindo. Não expliquei, claro. Pedi que ela me ignorasse e continuasse.Eu sou uma impostora. Dou risada das caras e bocas dos meus alunos - risadas muito amorosas, mas dou. 

É que é tão estranho ver alguém nervoso só porque tá falando comigo. Quase olho pra trás pra ver  se a professora de verdade tá sentada atrás de mim.

11 comentários:

Rebeca disse...

Ai... Eu li "A moreninha" e gostei demais! hihihi

Lembrei agora de como costumava me tremer toda nas apresentações da escola. Putz! hahahaha

Saudade...
:)

Lilian disse...

Eu também li e gostei. E também li O Moço Loiro e gostei.

Agora, eu também riria horrores dos alunos achando que eu não leio nada. Acho que eles pensam que quem é mais velho não faz as mesmas coisas que eles. Bem, algumas coisas. :P

Juliana disse...

Lílian e Rebeca, vcs não existem! são fake! Assumam! Acho A Moreninha um saco! hihihi

Cheshire cat disse...

Eu escapei de ler A moreninha porque a professora dividiu a turma em grupos e cada grupo leu um livro - o do meu grupo era Inocência, que aliás é chato também.

Luciana Nepomuceno disse...

Eu gosto de A Moreninha. Não é o melhor livro do romantismo brasileiro, mas tem seu encanto ;-)

Maeve disse...

é trabalho de gente grande mesmo, né? tem horas que parece mesmo que não é a gente.
Me lembro quando tava na sala com 22 anos e uma das minhas crianças se referiu à mim como "a senhora", já havia acontecido isso antes, mas ela pareceu tão séria quando disse aquilo... nunca esqueci.

glump!

Texto lindo <3

amanda. disse...

eu não li "a moreninha", mas uma vez eu passei a limpo um resumo do livro que minha prima fez (ela tinha machucado a mão direita) e achei bem mais ou menos.
não gosto de romance romântico (os clássicos), nunca gostei.

e olha, eu tremo até hoje em apresentações e seminários. engraçado que quando vou regenciar aulas eu fico bem calma, mas na frente de professores , eu fico nervosa.
esses dias uma prof até pediu pra eu parar e "respirar", porque meu bebê não precisava "aguentar toda aquela pressão". depois que ela me interrompeu eu percebi que não respirava direito.
acho que quando eu aprender a respirar, minhas apresentações vão melhorar.

disse...

Eu também não li "a moreninha". Mas quando o meu pai leu esse livro, ele gostou tanto que só falava na história. rs Então meio que fiquei por dentro de tudo.

Eu sou uma pessoa tímida. Tenho problemas para falar em público. O meu "medo" não é o professor e sim as outras pessoas que estão em maior quantidade. Elas fazem avaliações bem rigorosas e maldosas da gente. E eu, como tímida que sou, me importo com isso. Pois é.

Rita disse...

(Eu gostei d'A Moreninha...) sshhhhhh!!

Palavras Vagabundas disse...

Ju, você tá por fora A Moreninha é legal!
Custei a entender que "senhora" se referia a mim, mas tem hora que ainda acho que um adulto deveria estar presente para resolver determinadas coisas.
bjs e bom feriado
Jussara

Raphaella disse...

Mais uma que não gosta de "A moreninha" aqui. (Sim, li obrigada)

(Hoje) Acho engraçado isso de ficar nervoso. Eu SEMPRE ficava. Mas não pude evitar rir (internamente - tadinhos, né) disso desde que percebi pessoas ficando nervosas por falar comigo (absurdo!). Essas ironias da vida.