sábado, 18 de maio de 2013

A morte é uma autoritária. Ela vem, ela leva e fica a obrigação da reinvenção.

Quando alguém morre, o mundo deixa de ser o mundo conhecido e se torna um outro. O morto vai pro mundo dos mortos, os vivos precisam inventar esse mundo novo em que se diz " o morto".

***
Cheguei bem perto pra ter certeza. Achava que a visão do corpo morto decretaria a morte, mas o corpo de um morto ainda é vivo. Você passou toda a vida olhando pra vida daquele corpo, por isso só consegue enxergar vida nele. É um cadáver, mas você só enxerga o que viu tantas vezes: um homem dormindo.

***
Estou deitada na minha cama quente e só me vem à cabeça a terra fria e o caixão.

Parei de escrever pra reler essa linha daí de cima e parece tão inacreditável que eu esteja falando de caixões, que  todo mundo tenha voltado pra casa e que o homem que estava só dormindo tenha ficado lá. Sozinho.

***
A morte. Eu digo " a morte", mas é como se não dissesse nada.

***
Eu chorava e ouvia meus soluços como se estivesse ouvindo o choro de uma desconhecida.

10 comentários:

Inaie disse...

Jú, eu acredito que o mundo dos mortos seja muito próximo do nosso, e que a gente interaja com ele o tempo todo, mesmo sem perceber!

Luciana Nepomuceno disse...

[---o---]

Lia disse...

Em todos, e poucos, velórios que fui, a pior parte é 'deixar' a pessoa lá.

Vc conseguiu traduzir bem, o olhos veem vida, mas ha morte.=/

Raphaella disse...

É, mesmo "vendo", a gente custa a acreditar. E depois ainda fica esperando a pessoa aparecer a qualquer momento - como se ela estivesse em outro cômodo, tivesse ido viajar,...

*abraça*

Palavras Vagabundas disse...

Deixar lá é o pior!
beijos
Jussara

Milla Pupo disse...

Quando um amigo meu morreu, eu repeti pra mim mesmo por uma hora "ele tá morto".

Não conseguia conceber a ideia, me parecia surreal. Ainda hoje, quando penso nele, tenho a sensação de que ele mudou de país, mas daí repito "ele tá morto" e tento tomar consciência do real.

A morte nunca é real, ela é surreal e não cabe bem nas nossas vidas, pelo menos não na minha... acho.

Beijo, lindona,

Camila Mancio. disse...

Este blog é lindo demais!

Luciana Matos disse...

Ai Ju.

E eu também não sei lidar com essa coisa de morte. Acho que ninguém sabe e você traduziu muitíssimo bem o que deve ser perder um ente próximo e querido. Eu quero pessoas imortais urgentemente.










Miriam disse...

A morte chega e nos rouba os sonhos...

Aline Souza disse...

Juliana, sinto mto por tudo q vc e sua familia estao passando!! O definitivo da morte e' insuportavel!! Desejo mta forca a todos vcs!! Se vc me permitir, deixo aqui um abraco, on line, mas sincero! Bjsss