sábado, 28 de setembro de 2013

Meu remédio é cantar

Eu não sei cantar, não tenho a menor noção de ritmo, não tenho voz bonita. Mas, hoje, enquanto seguia o cortejo que ia atrás do corpo da minha vó, senti uma vontade enorme de cantar.  Eu ri, enquanto chorava, porque a memória da voz desafinada de minha vó me tirou do cemitério e me transportou pros dias da minha infância. Me lembrei da vitrola verde, da voz do Gonzaga e de uma música:

"Ai quem me dera voltar
Pros braços do meu xodó
Saudade assim faz roer
E amarga qui nem jiló
                                                                            (...)
                                                      Saudade, o meu remédio é cantar"


Então, hoje, enquanto o corpo da minha vó era ajeitado na cova, eu cantei. Desafinado, com uma voz tão embargada que mal consegui me reconhecer, alto demais, cantei, cantei, cantei.

Nunca haverá saudade como essa.

A maior saudade do mundo.




11 comentários:

juliana disse...

meu abraço carinhoso pra você, Ju.
fica bem.

Luciana Nepomuceno disse...

A maior saudade do mundo. É isso. Vou cantar com você, tá?

E eu lembrei da Bethania dizendo que música é vida e que na vida ela também desafina...quem não?

SMarcelina disse...

E foi bonito, foi emocionante, foi libertador ouvir uma despedida tão profunda. Talvez Dona Maria, ou avó da Juju, até ensaiou alguns passinhos e debochou de vc...

Daniela disse...

todo meu amor, Ju.

Felipe Fagundes disse...

:'-)

Palavras Vagabundas disse...

Um abraço apertado! Com certeza ela gostou por você ter cantado.
bjs
Jussara

Anônimo disse...

Uma lembrança muito linda.
Uma canção que dispensa explicações. Uma saudade que só uma melodia chega próximo de descrever e que vai amargar menos a medida que a gente continuar cantando.
Vamos sentir muito a falta dela, sempre.
Todo nosso amor pra você, Ju.
Ass: O casal de Formiguinhas.

livroseoutrasfelicidades disse...

Ju, meus sentimentos. Perder alguém querido é triste, triste, triste... Por mais que seja a ordem natural das coisas, a gente se pergunta "por quê?".

livroseoutrasfelicidades disse...

Ju, meus sentimentos. Perder alguém querido é triste, triste, triste... Por mais que seja a ordem natural das coisas, a gente se pergunta "por quê?".

Anália disse...

Um abraço muito, muito grande para vc!
Bjs, Anália

Filha de José disse...


Desejo um abraço também.

E... que aprendas a conviver bem com a saudade. Este é o meu exercício diário.

Boa semana pra você.

Ana Virgínia
filhadejose.blogspot.com