domingo, 20 de outubro de 2013

Cresceu

Em fevereiro, o meu cabelo estava assim:

Estamos em outubro e meu cabelo tá assim:


Só tive o cabelo tão curto quando era criança. Vi um dia desses uma foto minha,aos 10 anos, com o cabelo Joãozinho. O trauma causado pelo corte foi tão grande que não lembro daquela fase. Sério mesmo. O problema não foi o corte, e sim  o motivo de meu cabelo ter sido cortado tão curto. Uma tia minha, que costumava cortar os cabelos da família, decidiu que um cabelo " difícil" como meu precisava ser bem curto pra ficar domado. Pois é. Desde então, nunca mais cortei de verdade até fevereiro desse ano. Quase 20 anos depois, tava na hora de superar, né? Cortei bem curto porque quis, porque queria mudar a cara. E , ao cortar, acabei descobrindo que meu cabelo fica mais saudável sem o relaxamento. Na verdade, a única parte do meu cabelo com a qual é " difícil" lidar é justamente aquela em que o relaxamento permanece.  É que eu arrumei bem arrumadinho pra  sair na foto, senão vocês veriam que essa mecha aí na frente é híbrida - até certo ponto, tem o meu cabelo natural; de um ponto em diante, os fios estão quebradiços e espigados. Eu já poderia ter cortado logo essa parte com química, mas uma ousadia de cada vez.


Com o cabelo curto, aprendi duas coisas importantes: brincos pequenos não mordem ninguém e pentear o cabelo de manhã não é assim tão ruim. Você não penteava o cabelo de manhã, Juliana?! Não. Eu sou daquelas pessoas que não deveriam viver antes das 9h da manhã, mas o sistema capitalista não tá nem aí pras necessidades do meu corpo, né? Então, entre arrumar o cabelo  e dormir mais, sempre preferi dormir mais. Aí acordava, tomava banho, fazia um coque e saía. Foi difícil me adaptar à impossibilidade de fazer coque.Agora tenho que dar uma olhada no espelho de vez em quando pra ver se não estou completamente descabelada. Claro que sempre que vou checar, estou completamente descabelada, mas nada que um sprayzinho não resolva.

Com o cabelo curto e as orelhas mais expostas, descobri que as minhas habituais argolas e os brincões que costumava usar não ficavam tão legais. Brincos grandes, pelo menos em mim, só ficam bons se forem daqueles que começam presos no lóbulo .E eu nem tinha brincos pequenos, era oito ou oitenta: brincões ou nenhum brinco. Eu sou grande, bochechuda; achava que brincos pequenos ficavam desproporcionais. Aí descobri que existem os pequenos- não -tão- pequenos.


Agora, eu ando pensando em botar em prática um velho desejo: mudar a cor. Nunca pintei o cabelo. Quer dizer, aos 13 anos, tentei tornar minhas madeixas vermelhas, usando papel crepom e água. Não riam da menina de 13 anos que eu fui. Tudo ficou manchado, as mãos, as unhas, a testa, menos o meu cabelo. Nem sei de que cor pintaria hoje, só queria mudar esse tom escurão de sempre. Vamos ver, vamos ver!


9 comentários:

Palavras Vagabundas disse...

Você está linda!
Gosto de cabelo curto e uso bastante brincos, inclusive argolas.
bjs
Jussara

amanda. disse...

Adooooooooro desapego capilar!!
Ha 6 anos eu nao vou mais em salao cortar o cabelo. Eu mesma corto, com uma navalha. Aderi ai cabelo desfiado ao maximo, sem corte definido, aquela coisa torta mesmo. Chega. Cansei. As pessoas pensam que gente de cabelo liso nao sofre, mas eu nunca fui feliz com o meu. Ele é liso, mas é indomavel. É armado, pesado, grosso, volumoso. Um horror. Desfia-lo da uma leveza, e quando tenho tempo, faço uma chapinha pra deixa-lo no lugar.
Ha 6 anos eu nao deixo meu cabelo passar da omoplata. Cabelo agora, só caindo no ombro. Ainda nao tive desapego o suficiente pra cortar curtinho. Ate porque ele arrepia de ficar curto demais.
Tambem nunca pintei, meu cabelo nunca levou nenhuma quimica sequer. Só pela preguiça da manutenção e por saber que, pelo volume e espessura, levaria omdobro que um cabelo normal.

Meu cabelo me da muito trabalho. Isso porque eu sequer cuido dele como deveria.

Luciana Nepomuceno disse...

Pintar eu nunca pintei, mas cortar curtinho: trabalhamos. E, na época, virou meio vício, eu chegava no salão e dizia: Jota, cortar! e ele: mas, Lu, nem cresceu ada ainda... (rs). Agora tá grande porque aqui é caro cortar e eu ainda num animei. Grande = roçando no ombro quase.

Cíntia Ribeiro disse...

Gostei do jeito que tá hoje, se eu fosse você, manteria assim.

Também não costumo pentear o cabelo de manhã. Nem quando usava natural, nem quando fazia chapinha toda semana, nem agora que estou no meio termo.

Gosto de cabelo curto e brincos grandes. Mas não sei se tenho muita moral pra falar, já que eu gosto de brincos de qualquer jeito. Tinha parado de usar os muito grandes, mas voltei depois de cortar. Dá um contraste legal.

Felipe Fagundes disse...

Adorei o "mas uma ousadia de cada vez".

Ju, você está muito modelo nessa segunda foto :)

Cheshire cat disse...

Primeira coisa - tá linda na foto.
Cabelo curto é muito bom, cortar joãzinho é libertador. Estou deixando o meu crescer agora de enjoada e tendo que me acostumar de novo com secador, xampu caro (porque além de deixar crescer resolvi descolorir). Mas estou gostando também. Já sofri muito com cabelo fininho, desajeitado, mas aos poucos fui me conformando que cabelão não me pertence mais. É a vida.

Lilian Silva disse...

Vou concordar com a galera: você tá diva nessa foto.

E quero cortar o cabelo também, curtinho, joãozinho, que nem você fez. Não aguento mais fazer chapinha, não porque não goste, mas porque tá tomando muito do meu tempo. Se eu tiver uma hora ou duas livres, eu prefiro ler, dormir mais. Puxar e esticar meu cabelo não tá nos meus planos - não mais. Então, quero cortar, pra tirar toda a química, e deixar crescer ao natural de novo, ou se usar química, que não seja pra alisar, só pra diminuir o volume. Vamos ver.

Tenho medo de ficar feia porque né. Gordinha, carão redondo, cabelo curto. Vai evidenciar tudo. Mas olha, tou dando preferência à praticidade, viu.

Juliana disse...

hahahaha, gente! A pessoa tira uma foto com webcam,sem ter a menor noção do que tá aparecendo,e geral acha a foto bonita! Vcs são gentis, pessoas!

Lílian, eu sou gorda e bochechuda e acho que meu cabelo não evidenciou nada que já não estivesse evidente. Quer dizer, no início, me estranhei muito, mas o tamanho atual tá mais confortável de ver no espelho. quando cortei, ficava me olhando o tempo todo no espelho.


Lu, eu adoro seu cabelo como está agora. É muito caro cortar por aí, é?

euretrato disse...

Dona Juliana, você está belíssima com o cabelo assim! =)

Também namoro com a ideia de ter um cabelo curto, mas ainda estou criando coragem..

Um beijo!