quarta-feira, 16 de julho de 2014

Vou pelo caminho ouvindo Chico e Carminho cantando Carolina. Ouço a mesma música mil vezes até cruzar o portão da escola.  Chego a sentir um pontada na barriga quando a voz do Chico me chega nos ouvidos. Outro dia, chorei no ônibus, o rapaz do lado me olhou preocupado, sorri pra tranquilizá-lo. Não tem como explicar que não é tristeza, é melancolia. Não estou triste, moço, é só que a beleza tá doendo em mim. Só as personagens de Clarice dizem coisas assim.

Depois de tanto tempo, meu dias entraram numa rotina. Por esses dias, só por esses dias, sei como é controlar um universo. Deito no chão de piso frio da sala e presto atenção no silêncio. Até esqueço que tenho uma voz. Solidão não me apavora; a solidão me traz melancolia . Então me torno essa pessoa que fecha os olhos pra sentir o peso do sol nos cílios. O raios de sol no inverno são macios e me fazem sorrir enquanto atravesso a passarela do metrô.



3 comentários:

livroseoutrasfelicidades disse...

:-)

Aline Aimée disse...

que texto bonito!
e essa música é linda!
hoje, chorei ouvindo uma bela interpretação de um vilancico renascentista: https://www.youtube.com/watch?v=LaNptFOdDAY

Lia disse...

Que música linda Ju!!