quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Não contei que estou fazendo curso de inglês. Pois é, hoje foi a última lição do book 1.  É muito divertido voltar a ser aluna, ter dever de casa, essas coisas. Até a aula de hoje, eu estava me sentindo como se tivesse voltado pra 1998 e fosse a menina estudiosinha e interessada que eu costumava ser. Mas o tempo é um senhor implacável. Hoje, diante da adolescente relapsa que não largava o whatsapp e do menino desdenhoso que não sabe dizer quem trabalha no hospital, me dei conta de que, sim, tenho 30 anos, graças a Deus. Não lembro mesmo como é ser tão jovem.

A diferença entre ter 15 e ter 30 é saber que a droga do celular não vai evaporar se ficar umas horinhas dentro da bolsa. É   receber o boleto de mensalidade no seu e-mail e pensar nele quando dá preguiça de ir pra aula. É ter vontade de esganar um moleque que não tem a menor vergonha de  chegar 40 minutos atrasado  e que não se dá o trabalho de pedir licença, nem em inglês nem em português. 
A arrogância da adolescência é um saco.   Arrogância de meia tigela, né! Porque o pessoal não tava sabendo usar present continuous. A pessoa frequenta um curso que arranca todo mês um pedacinho da córnea dos pais e não aprende a colocar ING no final de uma meia dúzia de palavras? Se eu fosse mãe desses moleques...

 No início, só havia 2 adolescentes na minha turma: dois irmãos fofos e interessados. A menina até fica grudada no whatsapp, mas, sei lá como, presta atenção na aula e jamais fala besteira. O menino é igualmente fofo. Hoje chegou atrasado ( disse que tava fazendo trabalho da escola), mas teve a dignidade de ficar vermelho ao interromper a aula. Uns amores. Ótimos coleguinhas de turma. Era muito mais legal quando só eles tinham 15 anos na nossa turma.

Eu não mereço ter de lidar com adolescentes chatos, gente! Não mereço! Quero só os adolescentes legais  perto de mim.


4 comentários:

Annie Adelinne disse...

Nossa, Ju! Me identifiquei totalmente com o seu texto agora <3

Felipe Fagundes disse...

Hahahahah

Eu também sofro com a maioria dos adolescentes da minha turma no inglês. Somos uns 15, só 3 não adolescentes. Uma coisa que me mata no meu curso é que 90% dos exercícios são "Work in pairs" e, na maioria das vezes, a pessoa do meu lado NÃO QUER PRATICAR. Eu pergunto as coisas, ávido para falar, arriscar, aprender, e a pessoa "Ain, chato isso, né?". Amigo, você sai da sua casa num sábado para estudar inglês às 7h E NÃO QUER PRATICAR? FICA EM CASA DORMINDO. Já me irritei muito com isso. Agora, eu escolho cuidadosamente ao lado de quem vou sentar. Se só tem gente preguiçosa, fico sozinho. Professor não gosta e "faz em trio, Felipe", mas não dou o braço a torcer. Prefiro falar sozinho do que fingir que estou fazendo alguma coisa u.u

Cheshire cat disse...

Sofro com adolescente chato nas minhas turmas. Eu tinha uma que, quando eu entrava para dar aula, eles estavam cada um em um canto da sala, no escuro, mexendo no celular. Agora eu já aprendi, junto o número certinho de carteirinhas num semi círculo bem no meio da sala, para não ter como eles sentarem separados.

Mas curso de inglês é duro, porque as pessoas tem que falar e algumas simplesmente não querem ou não tem história pra contar. Uma vez dei aula para uma turma de adultos e tinha uma moça, curso superior, classe média, que o mais longe que tinha ido na vida tinha sido Monte Verde e nunca tinha ficado num hotel. O tema da aula era viagens, calculem o drama.

E meu namorado é o melhor aluno de inglês do mundo, porque ele diz: "Olha, se a professora me pergunta uma coisa e eu não tenho nada pra falar do assunto eu invento, porque ele não tá nem aí para o que eu vou falar, ela só quer que eu fale."

Desculpem a Bíblia, é que essa é minha vida hahahahaha

Vulgo Emilie disse...

Fiquei imaginando os dois adolescentes. É chato quando tem gente desinteressada junto. A gente se sente meio desconfortável, é uma falta de respeito não chegar na hora ou não prestar atenção na aula. Devemos ter sido ótimas alunas, não? Nunca fui nota 10, mas, dels, como eu me dedicava nas tarefas..rs! - @ Emilie