domingo, 6 de setembro de 2015

A data

Tenho muita paranoia com prazo de validade de comida. Olho todas as embalagens,  cheiro mil vezes aquele leite esquecido na geladeira antes de beber; de preferência, dou pra alguém experimentar. De todos os intestinos do mundo, o meu é mais frágil. Melhor alguém ter intoxicação no meu lugar. Não adianta me mostrar reportagens sobre a verdade sobre prazos de validade. Tá vencido? Não vai pra minha barriga de jeito nenhum.

Minha mãe sempre achou minha fé naquela data indicada pelo fabricante uma grande bobagem. Devo ter comido muita comida vencida antes de ser capaz de me defender. Obrigada, duendes das filhas de mães teimosas, pela proteção! Minha vó sempre me deu mais ouvidos, como toda boa vó mimadora de netinhas, então corri menos  riscos sob sua tutela. Quer dizer, exceto por aquela vez em que ela me obrigou a comer nugget azedo. Eu devia ter 10 anos e já desafiava, com meu paladar seletivo, a boa vontade da pessoa que penou na infância e passou muita fome na vida.Eu não comia açúcar, não comia peixe, só tomava o caldinho de feijão e isso  quando era obrigada (é duro ser uma criança fluminense quando não se gosta de feijão preto), enjoava com cheiro de melancia. Minha vó tinha paciência. Mas houve aquele dia de que nunca me esqueço em que ela encheu meu prato de nugget estragado e me obrigou a comer um por um. Eu disse pra ela que o gosto tava horrível, amargo, ruim, e minha vó, crente que eu tava chiliquetando, afirmou sem experimentar o nugget que o gosto azedo era limão. Limão, gente! E eu comi. E me pergunto como estou viva pra escrever esse post. Limão! Humpf! Quando minha mãe foi jantar, sua palavra e seu paladar de adulta prevaleceram e os nuggets foram pro lixo. O bom foi que, depois disso, passei uma semana comendo bife com batata frita. Minha vó não deve ter sabido lidar com a culpa.

Lembrei dessa historinha porque hoje minha mãe tentou nos envenenar com farinha vencida. Minha prima aproveitou o dia de chuva e pediu que minha mãe fizesse as rosquinhas que alegravam nossa infância. O pedido foi prontamente atendido e Vinicinho se juntou à minha mãe na execução da receita. Ficamos minha prima e eu no quarto , vendo Faustão e sentindo o cheirinho de massa frita. Tempos depois, Vinicius trouxe duas rosquinhas minúsculas feitas por suas mãozinhas igualmente minúsculas. Aceitamos a oferta de bom grado, mas na primeira mordida soubemos que algo tava errado: a rosquinha tava meio salgada.

Cê botou sal nisso, tia? 
Claro que não!
Mas tá salgado!
Eu não botei sal! 
Ah, mas tá horrível, mãe!

Sem pestanejar, corri pra olhar o pacote de farinha de trigo. Validade: 14/05/2015. Façam as contas. Resultado: um embrulho no estômago, minha prima vomitou, meu intestino sucumbiu. Vinicinho foi dormir com a mãozinha na barriga, reclamando de dor. E a minha mãe preocupadíssima com os efeitos da farinha vencida no estômago do menino. Só no dele, né? 

A menina de 10 anos que eu fui se sente vingada.  Acho que minha mãe não vai mais ignorar aqueles numerozinhos na embalagem. Quer dizer, eu espero.

7 comentários:

Luana disse...

Eu tambem nao gosto de feijao! =D
E meu pai me obrigou a comer apenas uma vez na vida... E eu passei tao mal (provavelmente a comida estava estragada)que ele nunca mais fez isso... O trauma foi tamanho que eu nem me lembro que comida era.

Andrea disse...

Eu também sou a neurótica das datas de validade. Os supermercados agora têm aquela lei que se tiver algum produto vencido nas prateleiras, o consumidor leva um (não vencido, claro) de graça, então os funcionários estão sempre conferindo, mas mesmo assim eu confiro também. A única coisa que eu desrespeito é o pão de forma, quando conservo em geladeira, mas não mais do que 3 dias. Já tive pacote que mofou antes do vencimento, então levo em consideração mais a aparência, textura e cheiro do que data.
Aliás, tem supermercado que troca as etiquetas, prorrogando as datas, então também analiso o produto antes de trazer pra casa. Na dúvida, não compro.

Georgia disse...

Faço como a Andrea: além da data de validade, confiro também a textura, o cheiro, a aparência em geral, porque alimento acondicionado de forma errada, mesmo com etiqueta indicando estar dentro do prazo de validade, são um risco!

Cheshire cat disse...

Hahaha olha, eu devo ter estômago de avestruz pois já comi tanta coisa vencida. Pão de forma eu só descarto se estiver verde e iogurte eu parto do princípio que já é per se uma coisa estragada, então só dou aquela cheiradinha e vai.

E eu amo feijão de todos os tipos. E todos os derivados, lentilha, grão de bico, soja. Se eu tivesse que escolher três coisas pra comer pro resto da vida: feijão, abóbora e pão italiano.

Juliana disse...

Paula, eu amo todos os feijões, exceto o preto, e aqui no Rio é o que mais se consome.

Juliana disse...

Paula, eu amo todos os feijões, exceto o preto, e aqui no Rio é o que mais se consome.

Aline Aimee disse...

Você é INGOAL meu namorado. Ele também diz que comida fora da validade "envenena". Não respeito qualquer prazo de validade: de comida, de cosméticos... Uso tudo enquanto a aparência não me assusta.
E nunca teci qualquer relação entre esses hábitos e o fato de ser a rainha da gastroenterite e dos edemas alérgicos.
:P