quinta-feira, 6 de abril de 2017

Hoje eu tô meio de cara feia e de má vontade. Passei o dia de bico. Motivo? O calor, a vida e umas 200 redações que terei de corrigir. Saí do trabalho e fui comer pizza com a amiga, o que desfez um pouco da cara feia, mas sorriso e leveza vieram de verdade depois que entrei na farmácia perto de casa.
Explico: estava na fila do caixa, prestando atenção na conversa de dois funcionários ( tô sempre fazendo isso...) Peguei o finalzinho da fala de um: " ... e chegando em casa ainda tem a fofoca da mulher!". Na hora, olhei pro moço e me meti na conversa de um jeito meio atravessado, um tanto indignada pela escolha da palavra " fofoca":
- Mas ela deve ficar esperando o dia pra conversar com você.
O moço não registrou o meu tom de censura. Simplesmente, abriu um sorriso simpáááático e me respondeu:
- Ah, eu gosto da fofoca da mulher. Chego em casa, ela coloca um pratão de comida e vai dizendo " você não sabe o que aconteceu...". É a melhor hora do dia. Minha esposa é muito boa de conversa, aqui na farmácia tb tem cada história, eu gosto muito de conversar com a patroa.
Essas palavras vieram num tom leve. O moço tinha uma cara sorridente e simpática. Eu não tive como sorrir. Deu vontade de conhecer aquela moça tão boa de papo. Que bom que ela e moço da farmácia compartilham a casa e a vida com quem gostam de estar! Que bom que têm um ao outro, né?

Nenhum comentário: